SEMANA DA PÁTRIA INCENTIVOU LEVEMENTE AS VENDAS DE SETEMBRO DE 2019 EM CAMPINAS E REGIÃO

Os dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) de setembro de 2019 indicam que o comércio varejista de Campinas e Região apresentou uma recuperação de 3,05% frente ao mês de agosto, e de 1,25% frente a setembro de 2018. A avaliação é da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC).

Essa melhora verificada em relação a setembro de 2018 foi um pouco motivada pela queda na taxa de juros Selic, reduzida de 5,50% para 5,0%, com reflexo nos juros de mercado, o que favoreceu as compras a prazo, bem como as vendas à vista, e com um incremento das vendas da Semana da Pátria, que, inclusive, teve o 7 de Setembro, com o comércio funcionando normalmente.

E-commerce

A participação do e-commerce ficou em 10,50% sobre as vendas da Região, correspondendo a 84.065 consultas, equivalentes a R$ 311,0 milhões, representando cerca de 14,81% dos R$ 2.10 bilhões vendidos no e-commerce nacional.  As maiores movimentações do mês foram a comercialização de Vestuário/Calçados, dentro das promoções da Semana da Pátria, juntamente com vendas de Alimentação e Eletrodomésticos.

Inadimplência

A inadimplência em Campinas ficou em (-29,35%) em relação a agosto de 2019, e (+2,16%) comparado a setembro de 2018, apresentando no período de janeiro a setembro de 2019, 207.645 carnês/boletos vencidos e não pagos a mais de 60 dias, significando cerca de R$ 149,5 milhões no endividamento dos consumidores de Campinas.

Na Região Metropolitana de Campinas (RMC), a inadimplência apresenta no período de janeiro a setembro de 2019, 494.393 carnês/boletos não pagos a mais de 60 dias, que representa cerca de R$ 356,0 milhões no endividamento dos consumidores da RMC. Em relação ao acumulado do ano (janeiro a setembro), a inadimplência cresceu 1,45% em Campinas e Região.

A expectativa para o Comércio nos próximos três meses, até o final do ano, é de uma perspectiva positiva. “Isso, tendo em vista o Dia das Crianças, a Black Friday e o Natal, que juntamente com o 13º salário, deverão ativar o poder de compra dos consumidores, mostrando crescimento dos índices de confiança nas atividades econômicas atuais”, afirma o economista da ACIC, Laerte Martins.

 

 

Foto: Economista da ACIC, Laerte Martins.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COMO A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL AFETA O VAREJO AUTOMOTIVO

É sabido que a tecnologia avança diariamente em grande velocidade. Todos os dias surgem novos …

Facebook
Twitter
LinkedIn