ABRASEL LANÇA CONTADOR DE DESEMPREGO DO SETOR DE ALIMENTAÇÃO FORA DO LAR NO BRASIL

A cada hora, mil funcionários de bares e restaurantes perdem o emprego no Brasil em função da quarentena imposta por estados e municípios e falta de apoio à manutenção dos empregos por parte dos governo federal, e de apoio dos governos estadual e municipal, no tocante a parcelamento ou adiamento de taxas e impostos. Os dados são do Contador de Desemprego no setor de Alimentação Fora do lar, um medidor que funciona em tempo real lançado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), que pode ser acessado pelo endereço: http://contadordedesemprego.com.br/.

O Medidor de Desemprego tem por objetivo apurar em tempo real o número de desempregados do setor no país com a paralisação das atividades de bares e restaurantes. A maioria dos estabelecimentos – 80% dirigidos por micro e pequenos empreendedores -, está com as portas fechadas, sem faturamento e sem recursos para pagar os funcionários. Parte da força de trabalho está em férias coletivas e um grande número já começou a ser demitida.

Segundo a Abrasel, o Medidor de Desemprego também é uma ferramenta que a entidade terá pata ajudar a sensibilizar as autoridades sobre a importância de ajuda rápida dos governos, no sentido de salvar o trabalho de mais de 6 milhões de pessoas com carteira assinada no setor. Levando-se em conta uma média de três pessoas por família, o desemprego vai impactar  8 milhões de pessoas em curto espaço de tempo.

Para o presidente da Abrasel RMC, Matheus Mason, a realidade é alarmante. “Há duas semanas estamos pedindo o apoio dos governos, sem respostas concretas até o momento. Quanto mais a ajuda do Governo demorar, mais o número de desempregados irá crescer. Precisamos de ajuda para pagar os salários já!”, afirma Mason

Na Região Metropolitana de Campinas (RMC)

Uma pesquisa realizada pela Abrasel RMC na última quarta-feira (25/03) junto aos empresários do setor traz uma estimativa da quantidade de vagas que devem ser fechadas nos próximos dias, sem ajuda do governo federal para pagamento do salário nos próximos meses. Somente na cidade de Campinas estima-se 10 mil demissões. Na RMC, o número pode chegar a 30 mil pessoas. “Nosso setor é responsável por uma grande parte do faturamento das indústrias, Ceasas, cervejarias, distribuidores, imobiliárias, engenheiros, arquitetos, fornecedores de equipamentos, de mesas, cadeiras, festas e eventos, além de equipamentos de segurança, dentre outros. Todos estes elos sofrerão impacto, com o número de emitidos sendo ainda maior”, alerta o presidente da Abrasel RMC.

 

Foto: Presidente da Abrasel RMC, Matheus Mason.

Crédito: Divulgação

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

TI TERÁ PAPEL FUNDAMENTAL NA RETOMADA PÓS-PANDEMIA

A pandemia do novo coronavírus provocou mudanças profundas na economia e o setor de tecnologia …

Facebook
Twitter
LinkedIn