ACIC ENCAMINHA A PREFEITO DE CAMPINAS O PLANO FACESP DE RETOMADA DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS

A presidente da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), Adriana Flosi, também vice-presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) – Região Administrativa 7 – Campinas, encaminhou nesta quarta feira (29/04) ao prefeito Jonas Donizette o Plano Facesp de Retomada das Atividades Econômicas: “Vamos passar o Dia do Trabalho, trabalhando”. O documento, elaborado a partir de dados sobre população, número de contaminados, óbitos confirmados e leitos disponíveis, com o objetivo de ajudar o Governo do Estado na tomada de decisões nesse momento inédito da história do País, foi apresentado oficialmente ao governador João Doria, nesta quarta feira (29/04) pelo presidente da Facesp, Alfredo Cotait Neto.

De acordo com Adriana Flosi, as 20 Regiões Administrativas da Facesp auxiliaram na elaboração do plano, após análise criteriosa dos dados de saúde e de contaminação, que têm como base a data de 24/04/2020. Para definir a proposta de reabertura regionalizada foram analisados os perfis de 393 municípios. Neste total estão as cidades que possuem Associações Comerciais (ACs) e as cidades com incidência de casos, mesmo que não contem com AC. “Nossa proposta é de uma flexibilização do decreto de quarentena e reabertura regionalizada das atividades econômicas a partir de 1° de maio, uma vez que os dados apontam que há regiões no estado que contam com uma estrutura de saúde adequada e uma baixa incidência de casos de contaminação. Obviamente o Plano prevê acompanhamento da disseminação da doença, capacidade do sistema de saúde, monitoramento do vírus, protocolos setoriais de reabertura, além de engajamento do cidadão e dos empreendedores”, diz Adriana. A Facesp congrega ampla rede de Associações Comerciais, em municípios no Estado de São Paulo, os quais representam cerca de 96% do PIB estadual.

Pelo Plano Facesp, a volta gradativa e responsável das atividades econômicas segue três referências: regionalização, faseamento com ínicio pelos setores de menor risco de contaminação e abordagem setorial para implementação e monitoramento de protocolos.

A segmentação municipal de reabertura das atividades econômicas, proposta pelo Plano Facesp, segue os três níveis de risco definidos pelo Plano São Paulo, que são: Zonas Vermelha, Amarela ou Verde. A Zona Vermelha equivale a elevado número de novos casos ou alta ocupação de leitos de UTI. Zona Amarela é aquela estável em número de casos ou ocupação adequada de leitos de UTI, e Zona Verde compreende aquela com baixo número de novos casos, baixa ocupação de leitos de UTI, testes disponíveis para sintomáticos e suspeitos, protocolos setoriais implementados.

Pela proposta de faseamento por nível de risco, a Zona Verde corresponde à Fase 1, com reabertura em 1º de maio; a Zona Amarela, à Fase 2, para reabertura em 11 de maio; e a Zona Vermelha, sem uma data definida, com o funcionamento de serviços essenciais e acompanhamento dos casos.

Conforme os dados apresentados, a RA 7 engloba 37 cidades, dispõe de 857 unidades de saúde, 2.468 leitos clínicos e leitos de UTI, uma população de 4.695.330 e 450 casos informados de contaminação, com incidência de contaminação X população de 0,010%, e com 36 óbitos confirmados por Covid-19. “Campinas enquadra-se na Zona Verde, portanto, na Fase 1 do processo de retomada”, analisa Adriana.

 

Foto:  presidente da ACIC e vice-presidente da Facesp, Adriana Flosi.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

RMC REGISTRA AUMENTO DE 5,22% NAS VENDAS EM SETEMBRO

Os dados da Boa Vista SCPC de agosto de 2020 indicam que o comércio da …

Facebook
Twitter
LinkedIn