APÓS SEQUÊNCIA DE ALTAS, REGIÃO DE CAMPINAS FECHA POSTOS DE TRABALHO NO COMÉRCIO

O comércio varejista na região de Campinas fechou 2.003 postos de trabalho formais em janeiro, resultado de 6.444 admissões contra 8.447 desligamentos, interrompendo uma série de seis meses de saldo positivo de empregos. No acumulado de 12 meses, foram criadas 1.439 vagas. Com isso, o varejo da região encerrou o mês com um estoque total de 197.685 trabalhadores, alta de 0,7% em relação ao mesmo período de 2017. A pesquisa tem como base os dados do Ministério do Trabalho por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).Sanae&Funcionarios2014_0374

As informações são da Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP Varejo) da FecomercioSP em parceira com o SindiVarejista. Das nove atividades analisadas, cinco apresentaram elevação no número total de trabalhadores formais em relação a janeiro de 2017, com destaque para eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamento de 2,9% e supermercados com 2,6%. Os segmentos de lojas de móveis e decoração tiveram queda de 4,5% e de lojas de vestuário, tecidos e calçados com redução de 3,9%.

Para a presidente do SindiVarejista, Sanae Murayama Saito, ainda que o número de vagas fechadas no mês tenha sido maior que no mesmo período de 2017, é importante ressaltar que o ajuste do quadro funcional após o Natal teve início já em dezembro de 2016. Já em 2017, os desligamentos dos colaboradores contratados para o fim de ano se concentraram em janeiro de 2018. “Passado a melhor data para o varejo, que são Natal e as liquidações de início de ano, é natural que as demissões ocorram. A previsão é que se permaneça a projeção do cenário positivo para o varejo este ano”, analisou.

A pesquisa abrange 30 cidades da região que são Águas de São Pedro, Americana, Araras, Artur Nogueira, Campinas, Capivari, Charqueada, Cordeirópolis, Cosmópolis, Elias Fausto, Engenheiro Coelho, Hortolândia, Indaiatuba, Iracemápolis, Leme, Limeira, Mombuca, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia, Piracicaba, Rafard, Rio das Pedras, Saltinho, Santa Bárbara d’Oeste, Santa Cruz da Conceição, Santa Maria da Serra, São Pedro, Sumaré e Valinhos.

Desempenho estadual

Após seis meses de resultados positivos, o comércio varejista do Estado de São Paulo voltou a eliminar postos formais de trabalho. Em janeiro, foram extintas 17.874 vagas com carteira assinada, resultado de 67.692 admissões e 85.566 desligamentos. Dessa forma, o varejo paulista encerrou o mês com um estoque ativo de 2.071.335 vínculos celetistas, leve alta de 0,2% em relação a janeiro do ano passado.

Em janeiro, os principais responsáveis pelo saldo geral negativo foram as lojas de vestuário, tecidos e calçados que eliminaram 10.828 vagas e os supermercados com redução de 7.281 vagas, enquanto o varejo de materiais de construção gerou 684 vagas e de autopeças e de acessórios 293 empregos com carteira assinada.

No acumulado dos últimos 12 meses, foram abertos 4.804 postos de trabalho, impulsionados pelos segmentos de supermercados com alta de 7.465 vagas e de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos com geração positiva de 4.791 vagas. Em termos proporcionais, destaca-se também as farmácias e perfumarias, cujo número total de empregos formais cresceu 2,6% em relação a janeiro de 2017.

Foto: Presidente do SindiVarejista, Sanae Murayama Saito.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL TEM NOVO DIRETOR PRESIDENTE

A Log-In Logística Intermodal, empresa 100% brasileira, de soluções logísticas, movimentação portuária e navegação de …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn