CAGED DE JULHO DEMONSTRA LEVE RECUPERAÇÃO DO EMPREGO EM CAMPINAS E REGIÃO

Segundo dados levantados pelo Departamento de Economia da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregado (Caged), do Ministério da Economia, em Campinas foram gerados 368 postos em julho de 2019, cerca de 50,54% abaixo dos 744 postos gerados em julho de 2018.  No acumulado do ano, de janeiro a julho, foram criados 1.939 postos, que representam 54,45%, bem abaixo dos 4.257 postos criados no mesmo período do ano passado.

Os destaques positivos em julho de 2019 em Campinas foram a Construção Civil e os Serviços; e os negativos, Indústria, o Comércio e a Administração Pública, que diminuíram a perspectiva de recuperação do Emprego no município, que está em contrapartida com o Emprego na Região Metropolitana de Campinas (RMC).

Região Metropolitana de Campinas

Na RMC foram gerados em julho de 2019, cerca de 2.824 postos de trabalho, 245,65% acima dos 817 postos de julho de 2018.  No acumulado do ano, de janeiro a julho, foram criados 13.404 postos, cerca de 40,18% acima dos 9.562 postos gerados no mesmo período de 2018.  Os 13.404 postos de trabalho gerados no primeiro semestre deste ano superam o número de 13.284 postos do período de janeiro a julho de 2014.

Os destaques em julho de 2019 foram as contratações de 1.111 postos em Serviços,  922 na Construção Civil e 546 no Comércio, o que pode anunciar uma pequena recuperação do Emprego neste início do 2º semestre.

Brasil

No Brasil, foram gerados 43.820 postos de trabalho em julho de 2019, que, no entanto, representa uma queda de 7,39% em relação aos 47.319 postos criados no mesmo mês do ano passado.

No acumulado do ano, janeiro a julho de 2019, foram criados 461.411 postos de trabalho, cerca de 2,93% acima dos 448.263 postos gerados no mesmo período de 2018. No acumulado dos últimos 12 meses foram criados 521.542 postos de trabalho. O melhor destaque foi a geração positiva de 18.721 postos na Construção Civil. “O quadro geral do Emprego na RMC e em Campinas não demonstra uma boa perspectiva para este 2º semestre, o que indica que o Desemprego continua assolando os trabalhadores da Região e, principalmente, o Desemprego em Campinas, que apresenta uma taxa de 11,56%, bem próxima dos 12,00% em nível nacional”, comenta o economista Laerte Martins.

 

Foto: Economista da Acic, Laerte Martins.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

EMPREENDEDOR TRANSFORMA PERSONAGEM ROBÓTICO EM FERRAMENTA DE ATIVAÇÃO DE MARCAS

Empreender é transformar um sonho em realidade e impactar positivamente na vida das pessoas. E …

Facebook
Twitter
LinkedIn