CAMPINAS E REGIÃO CONVENTION & VISITORS BUREAU APRESENTA PROPOSTAS PARA A PREFEITURA DE CAMPINAS

Responsável por 4,7% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e geração de mais de 13 milhões de empregos em toda a cadeia, o setor de eventos, que vai da hotelaria, centros de convenções, locadoras de equipamentos, locadoras de veículos, fornecedores de produtos e serviços, músicos e artistas, dentre outras, vem sofrendo fortes impactos com a pandemia. Em recuperação desde o segundo semestre de 2021, as novas medidas restritivas adotadas por municípios da região de Campinas, especialmente com redução de público, voltam a preocupar o setor.

Para mostrar os impactos das medidas e as diferenças dos eventos corporativos dos tradicionais, como rodeios, shows, festas de rua ou esportivos, a diretoria do Campinas e Região Convention & Visitors Bureau terá uma reunião com o prefeito de Campinas Dário Saadi nesta quarta-feira (09/02), às 9h30, no Palácio dos Jequitibás. A audiência marca uma série de encontros que a entidade pretende agendar com os demais prefeitos da Região Metropolitana de Campinas (RMC).

Vanderlei Costa, presidente do Campinas e Região Convention & Visitors Bureau, ressalta que é fundamental esclarecer as diferenças e a importância da cadeia para a economia regional e a geração de empregos. “Os decretos estadual e municipal avaliam que só existe um tipo de evento, no mesmo formato, que causam aglomeração e disseminação do vírus, quando na verdade são coisas bastante distintas”, explica.

De acordo com o presidente da entidade, cujo papel é fomentar e promover o turismo regional, a região é um dos dez principais destinos de eventos corporativos do Brasil. “Estávamos em recuperação, mas as novas medidas de limitação de capacidade, com 50% das ocupações, podem trazer retrocesso e mais prejuízos para toda a cadeia”, alerta.

Costa ressalta que os eventos corporativos, formaturas, congressos, convenções e casamentos menores seguem todos os protocolos sanitários, com salas grandes, espaçadas, além de capacidade já delimitada, ao contrário dos demais tipos de eventos. “Os centros de convenções e salas destinadas para os eventos contam com todos os dispositivos de segurança e sanitários, como totem com álcool em gel, pisos com produtos sanitários para desinfectar sapatos, pulverização constante das salas e ambientes (semelhantes aos procedimentos adotados em aeronaves), uso de máscara, além da exigência da carteira de vacinação e distanciamento”, explica.

As novas limitações de capacidade em eventos, recém anunciadas por prefeituras da região, estão “afundando um setor importante da economia”, na avaliação da entidade. “Em dez eventos testes realizados pelo governo do Estado de São Paulo, no qual o Campinas e Região Convention & Visitors Bureau participou, foi comprovado que os eventos corporativos são seguros”, completa Costa.

 

Foto: Vanderlei Costa, presidente do Campinas e Região Convention & Visitors Bureau.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COMO A TECNOLOGIA CONTRIBUI PARA O AVANÇO DO MERCADO DE SEGUROS NO BRASIL

ARTIGO DE EDUARDO NUNES O mercado de seguros no Brasil é um dos setores mais …

Facebook
Twitter
LinkedIn