CARTILHA DIGITAL ORIENTA SOBRE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS EM EMPRESAS

Mais de 1,2 mil ocorrências de incêndios estruturais, ou seja, em instalações industriais e comerciais foram registradas em 2020, representando alta de 43,7% em comparação com o ano anterior, segundo monitoramento diário de notícias de incêndios no Brasil, feito pelo Instituto Sprinkler Brasil. A pesquisa revela que os estabelecimentos comerciais como lojas, shopping centers e supermercados registraram o maior número de notícias na imprensa nos últimos três anos, seguidos pelos depósitos e as indústrias. Diante desse cenário, o Porto Seguro Empresa dá orientações importantes sobre como proteger empreendimentos de incêndios em uma cartilha digital.

Entre as causas mais comuns de incêndio em empresas estão a fiação elétrica exposta com pontos de remendo; uso adaptadores de tomadas, como “benjamin” e outros dispositivos; sobrecarga na rede elétrica; instalações elétricas, fiação ou disjuntores mal dimensionados; superaquecimento de equipamentos e aparelhos instalados fora de especificações técnicas. Além da área elétrica, o descuido com chamas ou o atrito por falta de lubrificação em rolamentos e esteiras, estoque de materiais em contato com pontos de calor e o armazenamento inadequado de mercadorias estão entre os fatores a serem considerados.

O gerente da Sucursal Campinas da Porto Seguro, Walmando Fernandes, recomenda a revisão periódica das instalações elétricas por um profissional habilitado. “A empresa deve providenciar a revisão sempre que mudar para um novo local ou instalar novos maquinários, de forma a reduzir o risco de sobrecarga nos aparelhos ou na fiação elétrica e, consequentemente, a probabilidade de incêndio”, explica.

Instalação de extintores, hidrantes, sprinklers, detectores de fumaças, alarmes de incêndio, portas corta fogo, saídas e iluminação de emergência e compartimentação de depósitos também são indispensáveis, dependendo do tamanho da empresa e os bens (carga de incêndio) que são armazenados no local.

Para o executivo é de extrema importância, ainda, o treinamento de todos os colaboradores. Além de obrigatório, a empresa deve oferecer cursos de brigada de incêndio e treinamento de ações preventivas e de combate. Diante do imprevisto, é importante ter pessoas com conhecimento não só para ajudar na proteção de vidas, mas também para manuseio adequado dos equipamentos de segurança.

Além disso, contratar um seguro é uma precaução muito importante. “Um incêndio pode trazer riscos para o capital humano da empresa e a terceiros, paralisar totalmente o negócio e até prejudicar o futuro da empresa”, analisa o executivo. “Com o seguro, é possível contratar coberturas que garantem a indenização dos prejuízos causados pelo incêndio. A cobertura de Lucros cessantes, por exemplo, garante a perda do lucro líquido e o pagamento das despesas fixas, caso a empresa precise ser paralisada por causa de incêndio”, explica.

Entre outras coberturas disponíveis estão: cobertura de perda ou pagamento de aluguel do imóvel, que garante o pagamento do valor do aluguel e das parcelas de IPTU de um novo local provisório; a cobertura de Responsabilidade Civil, que reembolsa as despesas com danos causados a terceiros; a cobertura de despesas fixas, que garante o pagamento de contas fixas (água, luz, impostos, salários, entre outros), caso a empresa tenha que ser paralisada; e a Recomposição de registros e documentos, que garante o reembolso das despesas coma recomposição de documentos destruídos acidentalmente dentro da empresa, inclusive custos com cartório, serviços de digitação e reimpressão.

Para prevenir e combater incêndios em empresas, o Porto Seguro Empresa disponibiliza uma cartilha digital que pode ser acessada em https://www.portoseguro.com.br/seguro-empresa .

 

Foto: Gerente da Sucursal Campinas da Porto Seguro, Walmando Fernandes.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

DIREITO AUTORAL EM TEMPOS DE COMPARTILHAMENTO – INTERNET NÃO É TERRITÓRIO SEM LEI!

ARTIGO DA ADVOGADA CLARA TOLEDO CORRÊA Apesar de seus quase 53 anos, a internet ainda …

Facebook
Twitter
LinkedIn