CIESP CAMPINAS REGISTRA DEMISSÕES E QUEDA NAS EXPORTAÇÕES

A indústria da região de Campinas registrou saldo negativo de 1,65 mil demissões em agosto. Esse é o segundo pior agosto da série histórica iniciada em 2003. No acumulado de 2019, o saldo também é negativo em 3,9 mil demissões. Os números fazem parte das Pesquisas Nível de Emprego, Sondagem Industrial e Balança Comercial Regional, apresentadas pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) regional Campinas.

O diretor em exercício do Ciesp-Campinas, José Henrique Toledo Corrêa, acredita que essas demissões refletem ainda um momento de adequação das empresas ao ritmo do mercado, ainda desaquecido. “As empresas tem que se adequar à situação. Como não houve uma retomada do consumo, o custo fixo continua. A forma que as empresas tem para eliminar esses custos se a empresa entra no vermelho é eliminar a mão de obra, que ainda é a maneira mais rápida de conseguir eliminar esses custos”, diz.

Apesar desse alto índice de demissões em agosto, José Henrique Toledo Corrêa, acredita que esse quadro poderá se reverter, pois a sondagem industrial aponta que indicadores como produção e vendas indicam uma retomada futura.  “Alguns setores já tem retomada e a gente percebe que vai chegar o momento que as empresas que estão preparadas para essa retomada terão de novo as contratações”, avalia.  “O volume de produção aumentou porque houve um pequeno aumento de demanda. Nós estamos numa região que é multissetorial, então alguns setores já estão fazendo aumento de pedidos”, completa

José Henrique acrescentou que é importante se atentar, para o fato que as demissões de agosto estão distribuídas por todas as empresas e não apenas em um segmento específico ou grupo restrito.

A sondagem industrial do Ciesp Campinas avaliou os resultados da Reforma Trabalhista, que completou dois anos de vigência.  Para 38,71% dos respondentes, a Reforma não teve nenhum efeito positivo em função do mercado retraído. Para 9,68% não gerou efeito positivo e há necessidade de uma nova Reforma. Já 29,03% dos industriais avaliou o efeito medianamente positivo, apesar do mercado retraído. Os que afirmaram o efeito como muito positivo e com possibilidade futura de geração de empregos representaram 22,58% dessa pesquisa. Pela avaliação das respostas, o diretor do Ciesp-Campinas afirmou que a Reforma Trabalhista  foi positiva para 51,61% (no somatório das respostas) e somente apresentará maiores resultados, à medida que ocorra a retomada do mercado.

Balança Comercial Regional

No período de janeiro a agosto de 2019, as indústrias da região de Campinas registraram um volume acumulado de exportações de US$ 2,244 bilhões.  As importações da região no mesmo período foram de US$ 7,269 bilhões. As exportações no mês de agosto foram de US$ 306,10 milhões e as importações US$ 988,90 milhões.

O diretor do Departamento de Comércio Exterior do Ciesp-Campinas, Anselmo Riso, afirmou que o agravamento da crise econômica e política na Argentina prejudica o comércio exterior da região de Campinas. A Argentina é um dos principais mercados consumidores de produtos produzidos na região de Campinas“ Estimamos que a participação argentina encolheu 40% na pauta das exportações, no acumulado de janeiro a julho. Nossa avaliação é que esse quadro se mantenha nos próximos meses, até o início do próximo ano”, acrescenta Riso.

 

Foto 1 – Diretor em exercício do Ciesp-Campinas, José Henrique Toledo Corrêa.

Foto 2 – diretor do Departamento de Comércio Exterior do Ciesp-Campinas, Anselmo Riso

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS GANHA SALA VIP NO TERMINAL DE PASSAGEIROS

A AMBAAR Lounge, em parceria com a Airport Dimensions, abriu nesta quarta-feira (01/12) o primeiro …

Facebook
Twitter
LinkedIn