COM INCENTIVOS, EMPRESAS RETORNAM A TAIWAN

A Hiwin Corp., fornecedora líder de máquinas industriais em Taiwan, deve investir  mais de NT$ 6 bilhões (US$ 191 milhões) para expandir sua capacidade de produção nas regiões central e sul de Taiwan, segundo o Ministério de Assuntos Econômicos (MOEA).

Segunda maior fabricante de sistemas de controle de movimento linear do mundo, a Hiwin garantiu a aprovação do MOEA para o projeto de expansão, nos moldes do programa de incentivo do Governo para atrair empresas taiwanesas de volta ao país, em meio aos atritos comerciais entre os Estados Unidos e a China.

De acordo com o MOEA, a Hiwin planeja expandir suas fábricas em Taichung, no centro de Taiwan, e em Yulin e Chiayi, no sul, o que criará cerca de 1.250 novos empregos. A empresa também investirá em manufatura inteligente, para melhorar sua eficiência e reduzir os custos operacionais em Taiwan, de acordo com o MOEA.

A empresa está retornando para melhor atender seus clientes, 70 por cento dos quais são companhias taiwanesas que foram afetadas pela guerra tarifária entre a China e os Estados Unidos, e que também estão buscando voltar para casa, segundo o Ministério.

A Hiwin está entre as cinco últimas empresas taiwanesas que estão voltando a produzir no país, sob o programa de incentivo do Governo. O investimento conjunto prometido de NT$ 12,3 bilhões (cerca de US$ 367 milhões) pelas cinco empresas eleva o total deste ano para NT$ 548,4 bilhões (mais de US$ 16,3 bilhões). O número de empresas que retornam chega a 111, com a criação de 47.660 novos empregos, de acordo com o Ministério.

O MOEA lançou o programa de incentivo em janeiro, para encorajar o retorno de empresas taiwanesas que mudaram toda ou parte de suas operações para o exterior nas últimas décadas, especialmente para a China. Ao retornar, as empresas evitam os altos impostos norte-americanos sobre produtos fabricados na China.

Os incentivos oferecidos incluem acesso mais fácil a empréstimos bancários e um processo simplificado para contratar trabalhadores migrantes, bem como serviços adaptados para atender às suas necessidades.

Duas semanas atrás, de acordo com o MOEA, os investimentos agregados prometidos pelo retorno das empresas à Taiwan superaram a meta de NT$ 500 (cerca de US$ 15 bilhões) estabelecida pelo presidente Tsai Ing-wen para este ano.

O ministério disse que espera ver o aporte de pelo menos NT$ 170 bilhões (mais de US$ 5 bilhões) neste segundo semestre, o que ajudará a impulsionar a economia doméstica.

 

Foto: Hiwin Corp.

Crédito: Divulgação.

 

 

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

CIESP-CAMPINAS TENDÊNCIAS EM GESTÃO DE PESSOAS

As mais recentes tendências em gestão de pessoas. Esse é o tema da palestra da …

Facebook
Twitter
LinkedIn