CONFLITOS HIERÁRQUICOS PODEM GERAR DANOS ÀS ORGANIZAÇÕES

Um estudo realizado pela Hay Group, empresa global de consultoria de gestão de negócios, apontou que 70% dos casos de conflitos hierárquicos são a razão do clima pesado nas organizações de trabalho, além de ser também a causa de 28% dos piores resultados financeiros da empresa. Para reverter essa situação as empresas tem buscado auxílio junto a consultorias que desenvolvem trabalhos com foco em desenvolvimento humano e organizacional  para  a solução de conflitos. Durante a crise de 2009 muitas empresas aproveitaram esse momento para investir nas pessoas, principalmente as que estavam ociosas, de forma a aprofundar  e fortalecer os relacionamentos interpessoais dentro da corporação.

Lúcia Velasco, diretora da Velasco  Consultoria Organizacional, que tem sede em Campinas (SP) e é especializada em processos de mudança, desenvolvimento humano e organizacional, disse que é importante que quando a empresa for promover alguém internamente observe melhor o comportamento dessa pessoa. “Hoje a empresa promove pessoas porque são bons técnicos e essas pessoas muitas vezes não tem habilidade em gestão de pessoas. Antes de promover é importante fazer uma avaliação para ver se a pessoa tem condições de se desenvolver e também se ela quer se desenvolver porque as vezes ela não quer. Tem profissionais que não querem assumir uma posição de liderança e tem dificuldade em dizer não”, explica.
Lúcia Velasco disse ainda que em algumas situações alguns líderes são desligados da organização devido à falta de habilidade em gestão de pessoas. Isso normalmente ocorre  quando os colaboradores se sentem desmotivados pela falta de preparo de seus líderes. “Uma das alternativas para reverter o problema são treinamentos específicos que trabalham no desenvolvimento de habilidades e ferramentas para a gestão das pessoas ou da equipe”, aponta.
O programa consiste em diversos módulos envolvendo Comunicação Interpessoal, Liderança Situacional, Como Dar e Receber Feedback, Comunicação Assertiva, Condução de Reunião,  com  adequações de acordo com a necessidade da empresa e/ou público. Na avaliação de Lúcia Velasco, as empresas já estão mais sensíveis diante desses problemas. “Eu tenho um caso de uma pessoa que foi promovida a gerente e quer voltar a ser especialista. Ele falou que não quer isso e como é um bom especialista, a empresa está analisando isso”, comentou.
A falta de feedback e foco em pessoas e uma gestão baseada no autoritarismo são situações que levam as organizações a contratarem serviços de consultorias especializadas em desenvolvimento de liderança. Luzia Fernandes, Consultora de Capital Humano de uma das empresas atendidas pela Velasco, identificou alguns desses problemas relacionados com a gestão no seu ambiente de trabalho. “A liderança despreparada levava a um alto nível de absenteísmo (falta) e turnover (desligamentos). Esses indicadores foram sendo monitorados pelas entrevistas de desligamento e conversas com os funcionários”, conta Luzia.
Após investir na capacitação de líderes, é possível constatar uma melhora no clima da organização, nos níveis de produtividade, na redução de absenteísmo e turnover e na qualidade dos produtos oferecidos. Segundo a Consultora de Capital Humano, após sua empresa ter aplicado o treinamento de liderança, foi possível perceber maior tranquilidade nos colaboradores, maior clareza na exposição de objetivos, além de trabalhar de forma mais segura. “Sabemos que, hoje em dia, um forte fator de retenção em uma empresa é a boa gestão. Os líderes precisam aprender a exercer seu papel e, para isso, a instituição assume o papel de promover esse desenvolvimento”, afirma Luzia Fernandes. Os resultados são mensurados por indicadores e pela pesquisa de clima organizacional.
Lúcia Velasco ainda reforça que ao desenvolver o programa de liderança, consequentemente a relação entre o cliente e fornecedor interno da empresa também melhora, aprimorando a entrega do serviço que impacta positivamente na qualidade do produto, satisfação do cliente e resultados organizacionais. “É importante o profissional de recursos humanos trabalhar junto com a liderança e estar identificando quem é o profissional que realmente está apto e quem é aquele profissional que pode se desenvolver. O que eu observo é que a maioria consegue se desenvolver como gestor de pessoas”, observa.
Lúcia Velasco lembrou também  que realiza também pesquisas de engajamento. Nesse caso,  sempre surgem questões  que envolvem liderança e comunicação, que é responsável por uma pontuação baixa. “O relacionamento com a liderança, o que retém as pessoas e como é essa relação. Isso a gente vê muito nas empresas quando a gente analisa ou faz uma pesquisa numa multinacional”, comenta.
Para a especialista, Lúcia Velasco, a pessoa despreparada pode causar conflitos entre áreas de uma corporação porque está insegura e em função disso retém a informação. “Ela não entende que ela pode agregar ao outro, ser complementar  e fazer um trabalho de equipe”, completa.
Lúcia Velasco é graduada em Serviço Social, com Pós Graduação em Recursos Humanos, Especialização em Psicodrama Pedagógico e Dinâmica dos Grupos. Formação em Constelação Familiar e Organizacional, Qualificada pela Clark Wilson Group, Green Belt 6 Sigma e Coaching. Desenvolveu sua carreira profissional como executiva em Recursos Humanos nas empresas Eaton, Unilever, Rhodia, Rhodiaco e GE. Lúcia Velasco integra o Grupo de Recursos Humanos da Região de Campinas, que reúne 50 empresas da região de Campinas e também de São Paulo, onde são discutidos,  entre outros assuntos, o aumento de retenção e de liderança, que são problemas comuns em todos os seguimentos em várias empresas.
Velasco Consultoria Organizacional
A Velasco, fundada em 2003, é uma consultoria especializada em processos de mudança, desenvolvimento humano e organizacional a partir de trabalhos como treinamentos comportamentais, treinamento de liderança, coaching, avaliação para desenvolvimento entre outros. A fundadora da empresa, Lúcia Velasco, atua na área de recursos humanos em empresas nacionais e multinacionais há mais de 30 anos. Os três pontos principais que caracterizam o diferencial da empresa são: experiência prática, foco na criação de valor agregado e resultados mensuráveis. A Velasco atua ainda como parceira de seus clientes, com ações customizadas às particularidades de cada um deles, além de prestar serviços condizentes com a cultura das empresas e as necessidades dos profissionais.
Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

2021: OS IMPACTOS DA PANDEMIA PARA A EDUCAÇÃO

ARTIGO DE ISMAEL ROCHA Imagine que você está vendo um filme e pausa em determinando …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn