CPFL ENERGIA LANÇA A MAIOR USINA DE ENERGIA SOLAR DO BRASIL

Os
prefeitos de Campinas (SP), Pedro Serafim (PDT) e de Indaiatuba (SP), Reinaldo Nogueira
(PMDB) participaram, na última terça-feira (27/11), em Campinas da inauguração
da Usina Tanquinho da CPFL Energia. Ela é a primeira usina de energia solar do
Estado de São Paulo e a maior do país. O evento também integrou os marcos
comemorativos do centenário da companhia.

Também
estiveram presentes o secretário de Energia do Estado de São Paulo, José
Aníbal, que representou o governador Geraldo Alckmin (PSDB); o presidente da
EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Mauricio Tolmasquim, além de dirigentes
da empresa e autoridades locais.

Localizada
em uma área de 13.700 m2 da Subestação Tanquinho, de uma das distribuidoras do
Grupo CPFL, em Campinas (SP), a Usina Tanquinho vai gerar aproximadamente 1,6
GWh/ano. Isso é o suficiente para abastecer mensalmente 657 clientes com um
consumo médio de 200 KWh/mês. Com a geração de 1,1 megawatt, a usina já
está abastecendo as residências da região de Alphaville.

O projeto
de geração de energia limpa e renovável com painéis solares fotovoltaicos,
pioneiro no Estado de São Paulo, foi aprovado em dezembro de 2011 pela Agência
Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e absorveu investimentos de R$ 13,8
milhões em pesquisa e desenvolvimento. A CPFL Renováveis, subsidiária do Grupo
CPFL, será a responsável pela gestão e operação da Usina. A empresa foi a
responsável pela construção do empreendimento que levou quatro meses. Outros
oito meses foram aplicados em pesquisas, que deverão continuar até março de
2015, quando a CPFL deverá propor à Aneel arranjos técnico-comerciais para a
inserção da geração fotovoltaica na matriz energética brasileira.

A CPFL
Energia, que investe anualmente cerca de R$ 32 milhões em pesquisa e
desenvolvimento, já está desenvolvendo outros três projetos cooperados de
geração de energia solar.

O prefeito Pedro Serafim fez questão de registrar o orgulho de
todos os campineiros por ser a cidade sede da hoje maior empresa de
distribuição de energia do Brasil. “Hoje é um dia de festa, pois são poucas as
empresas no Brasil que chegam aos 100 anos e investindo para que, nos próximos
cem anos ela possa apresentar uma história maior ainda”, destacou.

Serafim ressaltou que a história da CPFL se confunde com a história de Campinas.
A cidade sempre foi parceira da empresa que em muito contribuiu para seu
desenvolvimento. E não só desenvolvimento material, pois não existe cidadania
plena num lar se lá não houver energia elétrica.

Serafim também destacou sobre o atual estágio da CPFL. “Ao investir em uma
energia renovável, saibam que vocês não estão apenas contribuindo com o meio
ambiente, mas também contribuindo com a criação de uma sociedade mais segura e
mais agradável de se viver. Assim, embora a aniversariante hoje seja a CPFL, somos
todos nós os presenteados. Temos certeza que hoje será o primeiro dia de mais
um longo e promissor ciclo da CPFL”, disse.

Compareceram
ainda, Luiz Eduardo Barata e Ricardo Lima da CCEE (Câmara de Comercialização de
Energia Elétrica); o presidente da CPFL Energia, Wilson Ferreira Jr.; Jorge
Alberto Duarte Grill, vice-governador do estado do Rio Grande do Sul; Murilo
Passos, presidente do conselho de Administração da CPFL Energia; o prefeito
eleito de Campinas, Jonas Donizette; a deputada estadual Célia Leão e outras
autoridades.

Tecnologia

A Usina
Tanquinho utiliza diferentes tipos de painéis, considerando desde as
tecnologias de silício policristalino (1ª geração) e silício amorfo
microcristalino (2ª geração). Testa ainda tecnologias promissoras, os chamados
“filmes finos”, como o telureto de cádmio e o Cobre-Índio-Gálio-Selênio (CIGS),
além do silício amorfo microcristalino. As tecnologias de filme fino têm sido
utilizadas em países com clima semelhante ao do Brasil, pois se adéquam melhor
a localidades onde a temperatura é mais elevada.

Além
disso, serão testados arranjos de painéis fixos e móveis (tracking, que
acompanham o sol), bem como a integração da energia solar com a energia eólica,
através da inclusão de um aerogerador de pequeno porte. Essas tecnologias serão
testadas para verificar qual se comporta melhor nas condições climáticas do
Brasil.

O projeto
também permitirá analisar o impacto da conexão desse tipo de geração para o
consumidor final em termos de qualidade, segurança, confiabilidade e
viabilidade econômica. Para isso, equipamentos de última geração vão ser
instalados em diversos pontos da rede de distribuição e em um cliente de média
tensão localizado próximo à Subestação.

DuPont e
SunEdison foram as empresas fornecedoras dos paineis solares para a Usina
Tanquinho (o projeto conta com paineis nas duas tecnologias descritas acima), e
sua construção foi conduzida pelas empresas CPFL Serviços, SunEdison e EBES –
Empresa Brasileira de Energia Solar.

CPFL
Energia

A CPFL
Energia é o maior grupo privado do setor elétrico brasileiro, com atuação nos
segmentos de distribuição, geração, comercialização de energia e serviços. Com
13% de participação no mercado de distribuição de energia, mantém a liderança
no segmento, com mais de 7 milhões de consumidores atendidos nos Estados de São
Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

HÁ DIFERENÇA ENTRE PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO PRECOCE DE DOENÇAS?

Inúmeras enfermidades importantes podem ser evitadas com prevenção. E o antecipar-se a problemas de saúde …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn