DIRETOR DO CIESP CAMPINAS CRITICA FALTA DE POSICIONAMENTO DA RECEITA E DO COAF COM RELAÇÃO A CAIXA DOIS

O diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) regional Campinas, José Nunes Filho, criticou a atuação do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e a Receita Federal do Brasil que não tem se manifestado diante dos bilhões de Reais desviados em caixa dois. “Foi estarrecedora essa confissão de crimes intermináveis desse Joesley Batista. Eles confessou até caixa dois e a Receita Federal e o COAF não se manifestaram. Tem políticos defendendo a descriminalização de caixa dois. Caixa dois é crime sim”, questionou.

José Nunes Filho lembrou ainda que muita gente está morrendo em cor6818_Coletiva_Ciesp-Campinas_credito_Roncon&Graça Comunicaçõesredor de hospital porque não em recurso público para pagar médicos e pagar hospitais. Além disso, segundo Nunes, jovens estão sem esperança porque não tem oportunidade de ensino ou tem um ensino inferior. “Quem não tem como pagar não tem como estudar nesse país e isso porque não tem arrecadação. Não tem dinheiro para pagar isso e tem vagabundo desviando dinheiro c  caixa dois para financiar corrupção e campanha política”, reage indignado.

Apesar de toda essa turbulência, para o diretor do Ciesp Campinas, José Nunes Filho, a economia começa a dar sinais de que está se descolando da política. “Para animar um pouco mais a economia tem que ter um pouco mais de estabilidade política, que não tem, embora a gente já sinta que a economia se descolou um pouco da política e já precificou esse problema político todo. A partir do momento que as reformas sejam votadas, a tendência é de que a economia descole da política”, disse.

As indústrias da 6787_Coletiva_Ciesp-Campinas_credito_Roncon&Graça Comunicaçõesregião de Campinas fecharam 250 postos de trabalho em maio desse ano, mas mesmo assim no acumulado de janeiro a maio de 2017 o saldo é positivo em 850 contratações. Para, José Nunes Filho, a eliminação desses postos de trabalho são pontuais e a situação é de ajustes. “Nos últimos seis anos os meses de maio foram negativos em empregos. O que a gente está assistindo agora é uma estabilidade. Nós vamos ter meses de pequeno aumento de emprego ou de pequenas quedas de postos de emprego”, comentou.

No comércio exterior houve uma melhora nos índices de importação e exportação nos cinco meses de 2017 quando comparados com igual período de 2016. “Nós tivemos um aumento das importações e das exportações e a corrente de comércio em função disso aumentou em torno de 18%, o que é bom para a região. Significa que a gente está ativo e está melhorando”, finaliza.

O economista e professor da Facamp (Faculdades de Campinas), José Augusto Ruas, confirmou que a sondagem industrial de maio superou as expectativas. “Maio apareceu com melhora de vendas e uma produção maior do que a gente imaginava”, revelou.

Foto 1 – Entrevista do diretor do Ciesp Campinas, José Nunes Filho.

Foto 2 – Apresentação dos números da indústria de maio com José Nunes Filho e o professor da Facamp, José Augusto Ruas.

Crédito: Roncon & Graça Comunicações

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

CCB E ABCERAM LANÇAM CURSO EAD DE INTRODUÇÃO À INSTALAÇÃO DE MATERIAIS REFRATÁRIOS

O curso de “Introdução à Instalação de Materiais Refratários”, promovido através da parceria entre o …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn