EFEITO CORONAVÍRUS – CIESP-CAMPINAS AVALIA MOMENTO DA INDÚSTRIA

O diretor da Regional Campinas do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), José Nunes Filho, apresentou nesta terça feira (28/04) balanço e pesquisa sobre os principais impactos da pandemia do Coronavírus, especificamente na indústria regional. O diretor do Ciesp Campinas explicou que os problemas principais continuaram nesses últimos 30 dias, como a falta de crédito, necessidade de suspensão de impostos e a preocupação com a preservação dos empregos.

Analisando o momento econômico, o diretor do Ciesp-Campinas manifestou preocupação com o dólar no patamar atual (R$5,60), o que pode trazer mais dificuldades para a retomada do mercado em geral. A expectativa de queda do Produto Interno Bruto (PIB) nacional em mais de 3% é outra das preocupações, segundo Nunes. O diretor ponderou que, no entanto, alguns segmentos estão mantendo ou até crescendo, nesse período, como o de alimentos, fármacos e químicos, embora outros, como automobilístico e eletroeletrônico tenham despencado. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e que movimenta a economia.

Na pesquisa do Ciesp-Campinas sobre os efeitos da pandemia na indústria regional, 90% dos respondentes estimaram que os impactos devem permanecer em até três meses. Desses respondentes, 96% já tomaram medidas para contenção de gastos e reavaliações estratégicas. Já 75,76% das empresas, adotaram o trabalho home-office. A segunda medida das empresas,  para 42.4%, foi a adoção de férias para parte dos empregados.

A diretoria do Ciesp-Campinas também nessa apresentação, destacou as ações e o envolvimento social das entidades do sistema Fiesp-Ciesp, diante da pandemia do Coronavírus. Nunes afirmou que estão sendo cadastradas entidades assistenciais da região de Campinas, para receberem 11 mil refeições fornecidas gratuitamente por dia pelo Sesi. Em todo o Estado de São Paulo serão 230 mil refeições entregues pelo Sesi por dia –  total de quatro milhões por mês.

Nunes Filho destacou ainda que o Ciesp-Campinas está disponibilizando gratuitamente para prefeituras e entidades dos mais diversos segmentos da região, o Plano de Retomada da Atividade Econômica Após a Quarentena. Esse documento elaborado pela Fiesp, com 74 páginas, traz em detalhes as diversas experiências de países com a pandemia e as orientações técnicas da Organização Mundial da Saúde (OMS). O documento detalha os protocolos e normas sanitárias para diversos setores de atividades do comércio, serviços e indústria. “Esse documento elaborado pela Fiesp é muito importante para a preparação de todos os protocolos para a retomada da atividade econômica”, frisou Nunes.

Comércio Exterior

Para o diretor do Departamento de Comércio Exterior do Ciesp-Campinas, Anselmo Riso, as exportações da região em março de 2020 foram de US$ 235 milhões, 14,8% menor que no mesmo mês do ano passado. As importações em março foram de US$ 805 milhões, 1,5% maior que em março de 2019. A corrente de comércio exterior da região em março de 2020 foi de US$ 1,4 bilhão, cerca de 2,7% menor que em março do ano passado. Na avaliação de Anselmo Riso, os efeitos da pandemia na balança comercial regional serão sentidos mais intensamente nos próximos meses.

 

Foto 1 – Diretor do Ciesp Campinas, José Nunes Filho.

Crédito: Roncon & Graça Comunicações

Foto 2 – Diretor de Comércio Exterior do Ciesp Campinas, Anselmo Riso.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

RMC REGISTRA AUMENTO DE 5,22% NAS VENDAS EM SETEMBRO

Os dados da Boa Vista SCPC de agosto de 2020 indicam que o comércio da …

Facebook
Twitter
LinkedIn