EMPRESA DESENVOLVE PLATAFORMA ONLINE PARA RESÍDUOS SÓLIDOS

Em 2011,
o Brasil produziu cerca de 62 milhões de toneladas de lixo, o equivalente a
1,2kg de lixo por pessoa por dia. Somente na cidade de São Paulo, de acordo com
o relatório apresentado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza
Pública e Resíduos Especiais  (Abrelpe),
o volume de lixo diário passou de 55 mil toneladas no mesmo período. Uma parte
considerável desse descarte é composta por materiais recicláveis que poderiam
retornar à cadeia de produção, gerando renda para trabalhadores e lucro para
empresas.
Para
viabilizar esse processo, a empresária paulistana, Mayura Okura, fundadora da
B2Blue.com, criou uma plataforma online que negocia e comercializa os resíduos
gerados pelas empresas e indústrias via B2B. A plataforma ainda disponibiliza prestadores
de serviços qualificados e recomendados, facilitando a melhor destinação de
resíduos sólidos. Além disso, incentiva novas soluções práticas e criativas
para os resíduos que desafiam as indústrias. Por
definição, tudo o que não foi aproveitado após a produção, utilização ou
transformação de bens de consumo é chamado resíduo sólido.
De acordo
com a Abrelpe, 60,5% dos municípios brasileiros deram um destino inadequado aos
seus resíduos sólidos em 2011. O lixo descartado de maneira inadequada polui o
solo e a atmosfera, contamina os recursos hídricos e causa doenças à população.
Para agravar esse cenário, estudos apontam que o volume de lixo aumenta a cada
ano: em São Paulo, dentro de um mesmo período, os números mostram que o
crescimento de produção de resíduos é duas vezes maior do que o crescimento da
população.
Buscando
incentivar empresas e indústrias a encontrarem alternativas para desacelerar a
produção de lixo, foi criada a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei
12.305/2010) que dá o prazo de até agosto de 2014 para que elas eliminem por
completo os resíduos sólidos industriais destinados de maneira inadequada ao
meio ambiente. A responsabilidade pelo lixo passa a ser compartilhada, com
obrigações que envolvem os cidadãos, as empresas, as prefeituras e os governos.
As empresas e demais instituições públicas e privadas deverão, dentro deste
período, desenvolver um “Plano de Gerenciamento de Resíduos”, integrado ao
Plano Municipal quando houver. Vale lembrar que a multa pode chegar a R$50
milhões
Diante
desse cenário, a empresária paulistana Mayura Okura encontrou um caminho para
ajudar as organizações a se enquadrarem às metas estipuladas pelo governo. Em
uma iniciativa nacional e pioneira, a Maynis Alliance, empresa que visa o
fomento de projetos que orientem empresas em direção às práticas ambientalmente
adequadas, desenvolveu a plataforma online B2Blue.com. Utilizando uma ferramenta
prática e segura de gestão de resíduos sólidos, a plataforma tem por objetivo
facilitar a destinação correta dos resíduos sólidos. A iniciativa ainda
estimula a simbiose industrial, pois é uma ferramenta de comunicação entre
empresas, com potencial para aumentar as oportunidades de negociações. A
prática do consumo sustentável também é beneficiada com a plataforma, pois esta
possibilita que materiais que seriam descartados na natureza retornem para a
cadeia de produção evitando e reduzindo o consumo de novas matérias-primas para
produzir o mesmo produto.
O
público-alvo do projeto é formado por pequenas e médias indústrias e empresas
que desejam se adequar à legislação e valorizar seus resíduos sólidos, uma vez
que não possuem um eficiente gerenciamento de resíduos sólidos interno. A
expectativa é de que a B2Blue.com possa atingir um público de 300 mil
indústrias e empresas em um período de dois anos. Para tornar esses números
realidade, a empresa conta com importantes apoiadores como as associações,
federações de industrias, entre outros. Inicialmente o foco de trabalho está no
estado de São Paulo, mas já a partir de 2013 estarão expandindo para as outras
regiões do Brasil.
O que
torna a B2Blue.com uma solução real para o destino de resíduos sólidos são seus
atributos como facilidade em encontrar fornecedores e empresas qualificados e
recomendados; possibilidade de rastrear as informações disponibilizadas;
confidencialidade de todas as informações que o usuário desejar não revelar;
disponibilização de documentos instrutivos, conforme a legislação, para
empresas que não possuem a documentação exigida para a comercialização de
resíduos sólidos; manutenção contínua das informações e anúncios do site;
segurança de pagamento; entre outros.
Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

BENNER EXPANDE SUAS SOLUÇÕES PARA O MERCADO JURÍDICO COM SERVIÇOS INTEGRADOS

Com o objetivo de contribuir para a eficiência jurídica das organizações, a Benner, companhia brasileira …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn