ESCAPISMO INDOOR VALORIZA O “FICAR EM CASA”

Memórias de lugares na natureza ou de uma metrópole, guardadas como viagens prazerosas. Cores, texturas, aromas e sons que aguçam os sentidos. Tudo isso é matéria-prima para o “escapismo indoor”, tendência de arquitetura e decoração que vem transformando o espaço de morar em um templo de aconchego e qualidade de vida. O conceito de escapismo define ambientes acolhedores, preocupa-se em integrar o espaço interno à paisagem urbana e, valendo-se dos recursos de acústica, traz silêncio e paz para dentro de casa.

Os dicionários de língua portuguesa definem “escapismo” como “tendência para fugir à realidade ou à rotina, a coisas vivenciadas, desviando a mente para outras ocupações ou entretenimentos”. Este significado, traduzido para os projetos de arquitetura e decoração, reforça a proposta de aproveitar o tempo com bons momentos dentro de casa.

Com soluções para vários ambientes, os projetos de escapismo indoor podem ser desenvolvidos a partir de várias concepções. Uma das ideias é trazer a experiência sensorial: visão, audição, olfato, tato, quatro dos cinco sentidos humanos, como linha mestra.

A arquiteta da A.Yoshii, Ana Paula Pimentel, explica que “ao recriar um ambiente de floresta em um banheiro com samambaias, por exemplo, é possível integrar os espaços internos com a paisagem do campo, ou até mesmo urbana, valorizando o convívio e a visão”, destaca.

Revestimento de piso, papel de parede, mantas, almofadas, tapetes e demais itens de decoração afloram o tato, de acordo com a arquiteta. “Sentir cada parte do espaço aconchegante e andar de pés descalços, possibilitam desfrutar uma vivência mais agradável do local em que se vive”, afirma.

A acústica, como valorização da audição, é um item imprescindível à arquitetura. “É possível morar no meio de uma grande cidade blindando-se dos ruídos externos e aproveitando a boa música que escolhemos ouvir em casa”, diz.

Para aguçar o olfato, a arquiteta recomenda itens de decoração que têm ganhado cada vez mais a predileção de quem gosta de ficar em casa. “Com velas e essências, por exemplo, podemos nos lembrar de uma viagem ou de uma ocasião especial que traga prazer e aconchego. Além disso, muitas fragrâncias possuem também um poder terapêutico. Óleos essenciais, como o de lavanda, ajudam a acalmar; já o de laranja deixam o ambiente mais alegre. Aliar decoração e aromaterapia promove uma experiência imersiva para o morador”, observa.

Os projetos também devem valorizar o conforto e a praticidade. Ver filmes em casa, cozinhar e conectar-se virtualmente aos amigos em meio à pandemia requerem recursos tecnológicos, que vêm para facilitar o dia a dia em casa e proporcionar bem-estar. Aliás, ela ressalta que o bem-estar é premissa fundamental da arquitetura e da decoração inspiradas no escapismo indoor.

 

Foto 1 – Arquiteta Ana Paula Pimentel traz dicas de como deixar a casa mais acolhedora.

Foto 2 – Um dos exemplos de tendência no escapismo indoor, são plantas ornamentais espalhadas pelos cômodos.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

VAREJO VOLTA A CRESCER EM DEZEMBRO

Seguindo a previsão do Departamento Econômico do Santander, o IGet (Índice Getnet de Vendas do …

Facebook
Twitter
LinkedIn