ESPECIALISTA ALERTA QUE PLANEJAMENTO É A CHAVE PARA A RETOMADA DO SETOR INDUSTRIAL

A retração do setor industrial diminuiu de 6,3% em 2015 para 3,8% em 2016. Embora o resultado ainda seja negativo, os percentuais indicam princípios de retomadbahia_DSC0506a econômica do setor. No entanto, ainda não é momento para arriscar, alerta o especialista Jorge Bahia, CEO do Grupo Bahia Associados, com sede em Indaiatuba.

Os anos de 2015 e 2016 foram sombrios para a produção industrial no Brasil. Entretanto, devido a algumas medidas econômicas adotadas pelo governo no segundo semestre de 2016, há expectativa de melhora. “PIBs, negativos em 2015 e 2016 não são bons alicerces para 2017, mas algumas ações econômicas no segundo semestre de 2016 foram início de preparação de um solo fértil aos exercícios seguintes. O setor industrial, por exemplo, apresenta tímida recuperação em alguns ramos”, afirma Bahia.

Em consequência às melhoras no panorama industrial, o comércio e o setor de serviços tendem a acompanhar a recuperação, e sucessivamente alavancar o fim da recessão. Entre os possíveis ganchos para essa mudança, o especialista indica: “O agronegócio é um oásis nesse deserto da crise, e setores industriais ligados diretamente a ele podem puxar essa recuperação”, diz.

No entanto, atenções devem ser direcionadas ao controle do fluxo econômico e financeiro. Segundo o especialista, apesar de termos o aceno de recuperação tímida é necessário trabalhar bem o controle de pilares econômicos da atividade industrial.

Entre as dicas para manter estabilidade no momento, Bahia destaca o controle de fluxo de caixa quanto a evitar empréstimos trabalhando o máximo possível com recursos próprios, negociações de preços e prazos de pagamentos junto a fornecedores, controle rígido de estoques quanto a não ter desembolsos ou desencaixes antecipados, controle de despesas operacionais, entre outros, são itens fundamentais para a empresa  industrial ter sucesso na travessia de 2017.

É importante que o setor industrial esteja preparado para o fato de 2017 ser um ano de transição. Essa preparação deve ser bem entendida com relação à necessidade de ainda ocorrerem possíveis ajustes ou acertos nos mais variados setores. “A recessão pela qual o país está passando é muito crítica. As políticas econômicas implementadas nos últimos anos foram degradadoras, não devemos esperar que as medidas recentemente implementadas tragam resultados imediatos. É necessário termos essa maturidade política para definirmos questões estratégicas de país e não ficarmos com propostas populistas e ilusionistas a cada quatro anos”, completa o especialista.

O Grupo Bahia Associados é constituído pelas empresas Bahia, Kósio & Associados Consultoria Empresarial Ltda., Bahia & Kosio Assessoria Contábil Ltda., Bahia & Almeida Gestão de Projetos Especiais Ltda. e Bahia Gestão de Atividades Administrativas e de Controle Ltda. Com um time de especialistas e estrategistas voltados à área econômica, financeira, contábil, fiscal e tributária, o grupo tem como proposta apresentar aos clientes um pacote de soluções indissociáveis, do qual faz parte a identificação de incentivos e benefícios fiscais e tributários, os efeitos econômicos e financeiros da operação, as melhores práticas de controles e informações contábeis para análise dos investidores, possíveis linhas de créditos e o efeito das mesmas no tempo, no fluxo de caixa das empresas, e nos seus resultados.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COMO A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL AFETA O VAREJO AUTOMOTIVO

É sabido que a tecnologia avança diariamente em grande velocidade. Todos os dias surgem novos …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn