ESPECIALISTA APONTA QUE ESGOTAMENTO DE CRÉDITO PODE TRAZER PROBLEMAS PARA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA

Os bons resultados do setor automobilístico nos últimos anos são produto exclusivo da maior oferta de crédito. Prova disso foi a desaceleração de 3,4% nas vendas nos primeiro quatro meses de 2012, quando os bancos ficaram menos generosos na concessão de empréstimos. E, mesmo que aconteça uma breve recuperação por conta da pressão do Governo por juros menores, está claro que o grau de endividamento dos brasileiros, já em alto nível, logo vai prejudicar essa circunstância monetária que garantiu a prosperidade do mercado e camuflou as deficiências da indústria.
De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), os custos de produção no Brasil são 60% superiores aos da China, 55% mais altos que os da Índia e 40% mais caros  que  os do  México.  “Essa falta de eficiência deve ser combatida para garantir os resultados no futuro, quando o consumidor vai ter menos dinheiro disponível. E isso vai acontecer logo”, explica o presidente da Support Cargo, operador logístico do ABC Paulista, Antonio Wrobleski. Para ele, as montadoras devem se concentrar na redução de custos para oferecer melhores condições de compra aos clientes. “É essencial uma análise detalhada de toda a produção e a identificação de eventuais melhorias nas diversas etapas. Normalmente, a movimentação e a armazenagem de peças e produtos, além das questões fiscais peculiares do país, concentram a maior parte dos custos e perda de produtividade. Consequentemente é onde se pode ganhar eficiência. Ou seja,  é obrigatório investir em inteligência logística”, completa.
Segundo o especialista, é preciso manejar melhor a infinidade de peças envolvidas na manufatura dos veículos. “O setor automobilístico deve modernizar sua logística inbound – recebimento dos fornecedores – e o que chamamos de intralogística – armazenagem e movimentação das peças dentro da montadora”.  Para acelerar essa evolução, de acordo com Antonio Wrobleski, cabe aos operadores tomar a iniciativa e  indicar  soluções inovadoras para as montadoras. “Junto com as montadoras, temos que nos envolver na questão. Por isso estabelecemos uma unidade nos EUA focada em desenvolvimento, que vai nos dar subsídios para apresentar  planejamentos exclusivos, considerando as particularidades  de cada operação e até a cultura  da companhia”, diz.
O presidente da Support Cargo lembra também que de outro grande desafio não só para o setor automobilístico, mas para a logística como um todo são os gargalos na infraestrutura do país e a consequente carência de planos multimodais. “Há diversos investimentos anunciados e programados para ampliação da infraestrurtura, mas não serão medidas rápidas e muito menos definitivas. Por isso, enquanto os problemas persistem,  e eles vão persistir por bastante tempo ainda, a melhora do planejamento da cadeia de fornecimento e das operações logísticas é, sem dúvidas, a solução mais promissora para o setor automobilístico,” finaliza.
A Support Cargo é um operador logístico brasileiro que realiza diagnósticos precisos para oferecer a melhor solução para cada cliente. Desenvolve projetos exclusivos que resultam em mais segurança, otimização dos processos e redução de custos. A empresa dispõe de infraestrutura completa organizada em unidades de negócios, especializadas em cadeias de abastecimento e plataformas logísticas, e investe continuamente em tecnologia, mão-de-obra especializada e gestão integrada. Atualmente atende aos setores de agronegócios, alimentícios, automobilístico, de calçados, eletrodomésticos, químico e petroquímico.
Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

DILUB LEVA ALTA TECNOLOGIA E AMPLO PORTFÓLIO DE SOLUÇÕES DA FUCHS PARA A INDÚSTRIA

A Dilub atua há mais de 32 anos no mercado do estado do Rio Grande …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn