FORÇA DAS POPULARES, REDES QUE OFERECEM MEDICAMENTOS A PREÇOS POPULARES CRESCEM 44,52% EM JANEIRO

Um modelo de farmácias que é relativamente recente é o das redes populares, que priorizam o custo baixo dos produtos para atrair o público. Contudo, essa alternativa vem conquistando rapidamente os consumidores.

O principal exemplo desse sucesso é o modelo de negócio de farmácia populares de redes administradas pela Farmarcas que vem proliferando em todo o país, provando que as farmácias associativistas não só podem disputar o mercado de igual para igual com o restante do mercado, como podem se destacar com números muito acima da média.

Somando todas as 822 lojas dessas redes populares – Ultra Popular, Super Popular e Maxi Popular -, se obtém um índice de crescimento orgânico no faturamento de 44,52% (somando os valores dos doze últimos meses findados em janeiro de 2020) comparado com um igual período do ano anterior. Com isso, chegou ao montante de R﹩ 2,5 bilhões. No período anterior o faturamento foi de R﹩ 1,75 bilhões. Esses números resultam da soma do aumento do faturamento individual das lojas e do crescimento no número das lojas.

Características do modelo

No modelo popular de drogarias, o principal foco são os preços. O empresário trabalha para ter o melhor preço da região e para a farmácia ser considerada econômica pelo consumidor.

Por ter definido em seu modelo de negócio que vende a custos baixos, trabalhar com genéricos é a melhor opção estratégica. Dessa maneira é possível utilizar comunicação específica para esse tipo de produto e se tornar referência para o consumidor.

Outra característica é que, para não ter custos com funcionários destinados apenas ao caixa, nas farmácias de modelo popular, o próprio atendente faz a cobrança no balcão. Isso também é positivo por conta de a loja ter mais espaço para exposição de produtos.

Crescimento estratégico

No entanto, o mais relevante para as farmácias do modelo popular ligadas à Farmarcas é a conquista de mercados estratégicos que pareciam muito complexos pela distância geográfica, sendo que a rede não se limita aos grandes centros e estando na grande maioria dos estados brasileiros. “O modelo de farmácias populares desenvolvido pela Farmarcas possibilita aos pequenos empresários se associarem e captarem ótimos resultados por meio de compartilhamento de ferramentas modernas de gestão e de compras coletivas. Contudo, é importante destacar que o grande diferencial é a capacitação constante dos empresários e funcionários das lojas”, explica Paulo Costa, diretor geral da Farmarcas.

Assim, o grande destaque se dá para o suporte na gestão, dado pelos chamados “anjos” – profissionais especializados que acompanham de perto o dia a dia da empresa e seus resultados. “Funciona como se as farmácias tivessem uma consultoria particular. No dia a dia do negócio, muitos administradores deixam passar decisões que são importantes para o resultado do negócio, mas os anjos estão atentos justamente para alertá-los”, explica o presidente da Farmarcas, Edison Tamascia.

O sucesso é tão grande que o modelo popular de farmácia vem sendo copiado por diversas farmácias e lojas em todo país. Entretanto, a grande dificuldade dessas é conseguir fazer frente aos diferenciais de gestão que a Farmarcas proporciona. Caso contrário, a adequação será apenas da marca, sem resultados.

 

Foto: presidente da Farmarcas, Edison Tamascia.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

MESMO SEM FUNCIONAR, LOJISTAS DE SHOPPINGS DE CAMPINAS RECEBEM COBRANÇA

Com as atividades suspensas inicialmente até o final de abril, como medida de segurança para …

Facebook
Twitter
LinkedIn