HIGIENE CONSTANTE DAS MÃOS REQUER CUIDADOS ESPECIAIS PARA EVITAR PROBLEMAS NA PELE

A importância da higienização das mãos para prevenção do coronavírus já foi amplamente discutida e deve ser uma preocupação constante, já que elas são um importante transmissor do vírus. No entanto, o uso excessivo de álcool gel e de outros tipos de produtos utilizados para a limpeza, como sabonete, sabão e detergente, pode prejudicar a pele e causar ressecamento, vermelhidão e até eczema, que causa pequenas lesões na pele. Por isso, junto com a higienização, é fundamental tomar outros cuidados para manter as mãos saudáveis. “Nós estamos caminhando para uma flexibilização do isolamento e, com isso, as pessoas devem passar mais tempo fora de casa, em contato com outros ambientes e outras pessoas. Por isso, terão de ser ainda mais cuidadosas com a higiene das mãos, que, indiscutivelmente, ajuda a diminuir a propagação não apenas do coronavírus, mas também de outros vírus e bactérias”, comenta a dermatologista de Campinas Daniela Bellucci, membro titular da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia). “Só que este cuidado com a higiene deve estar acompanhado de outros cuidados, que vão desde a escolha do melhor produto para limpar as mãos até a utilização de outros produtos para manter a pele mais saudável”, observa a médica.

Daniela explica que, preferencialmente, a higienização das mãos deve ser feita com sabonete. “Se possível, escolha os que possuem glicerina, que ajudam na hidratação da pele. É importante evitar, também, a utilização constante de sabonetes antibacterianos porque eles podem matar bactérias que protegem a pele, deixando-a mais vulnerável a infecções”, orienta. “O álcool gel 70% deve ser deixado para fazer a higiene das mãos em locais onde não há acesso a sabonete, já que o uso excessivo dele, seis ou mais vezes por dia, pode causar ressecamento da pele e dermatite”, explica a dermatologista.

De acordo com Daniela, após a higienização das mãos, é muito importante passar um hidratante específico para essa região do corpo, o que ajuda a manter a hidratação mais superficial da pele. “Vale reforçar que a hidratação também é importante após o uso do álcool gel. Neste caso, deve-se colocar uma quantidade pequena do álcool, para que ele não fique escorrendo pelas mãos, e esperar a secagem completa para, então, aplicar o hidratante”, explica. “De maneira simples, a ordem de aplicação dos produtos deve ser a seguinte: álcool gel 70%, hidratante, protetor solar, repelente e cosmético”, diz a médica.

A dermatologista destaca, ainda, que após o uso do álcool gel, também é necessário aguardar a secagem das mãos antes de mexer em fogão, por exemplo. “O álcool gel é inflamável, então é preciso redobrar os cuidados ao utilizá-lo para evitar queimaduras”, comenta.

O ideal, para a saúde das mãos, também é evitar o uso de detergente ou sabão, daqueles de lavar roupa, já que não são feitos para esta finalidade. “Como combate ao coronavírus, eles até são eficientes, mas esses produtos podem causar alergias e muitos outros problemas na pele. Portanto, opte sempre por um sabonete. O ideal é, como fazemos com o álcool gel, carregar um frasquinho com sabonete líquido na bolsa”, finaliza Daniela.

Daniela Bellucci é dermatologista, pós-graduada em Medicina Estética e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Ela atende em Campinas, na Clínica Silk.

 

Foto: Dermatologista Daniela Bellucci.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

NA CONTRAMÃO DA CRISE, PRINCIPAL DIVISÃO DA CASIO GANHA FORÇA E CRESCE NO BRASIL

A G-Shock, principal divisão da fabricante de relógios Casio, tem tido bons motivos para comemorar. …

Facebook
Twitter
LinkedIn