ÍNDICE DE CONFIANÇA DO CONSUMIDOR DE INDAIATUBA SEGUE OTIMISTA EM DEZEMBRO

Levantamento feito pelo SindiVarejista em parceria com a FecomercioSP aponta que o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) de Indaiatuba (SP) teve alta de 14,2 pontos entre outubro e dezembro passando de 105,5 para 119,7 pontos. O índice, que revela o humor do consumidor e ajuda o varejista a programar estoques, sinalizando como deverá ser o comportamento

DCIM100MEDIADJI_0224.JPG

de seus clientes a curto e médio prazo, aponta que as pessoas acreditam que terão melhores condições de compra, no próximo ano, mas ainda sentem certa insegurança com o momento atual e entendem que apesar das melhores perspectivas, o cenário atual ainda é muito negativo, com desemprego elevado e rendimentos em queda.

O indicador utilizado na pesquisa varia entre 0 e 200 pontos, sendo que abaixo de 100 significa pessimismo e, acima, otimismo. O ICC é composto pelo Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA), que revela a disposição em consumir neste momento, e também pelo Índice de Expectativas do Consumidor (IEC), que aponta a perspectiva das pessoas em comprar no futuro, sem considerar o cenário atual.

O ICEA apontou para o momento atual pessimismo, com 56 pontos, praticamente estável em relação à pesquisa anterior quando o patamar era de 55,7 pontos. Já, a perspectiva futura (IEC) continua em alta, com 162,1 pontos, uma elevação de 23,5 pontos em relação ao dado anterior, ou seja, as projeções para o futuro estão no campo positivo do indicador e até cresceram em relação ao período anterior entre setembro e novembro deste ano.

A presidente do SindiVarejista, Sanae Murayama Saito, disse que o índice é uma importante ferramenta de orientação aos comerciantes, além de contribuir com a economia da cidade. “Em breve teremos uma curva histórica que mostrará o comportamento do consumidor ao longo do tempo e, por meio disso, o varejista conseguirá se pautar, fazer promoções na hora exata, encher ou não o estoque”, declarou.

Para o assessor econômico da FecomercioSP, Fábio Pina, os dados mostram que ao longo de dois meses a expectativa cresceu baseada numa esperança de melhora econômica que ainda não veio. “As pessoas estão imaginando que haverá uma melhora econômica de fato a partir de 2017, mas é preciso entender que isso ainda vai levar um tempo. Esses dados de Indaiatuba com relação à esperança das pessoas são bastante positivos, mas ainda estão baseados numa projeção de perspectiva de um futuro a médio prazo melhor que tem e pode se concretizar, mas ainda está apenas no campo das expectativas ”, explicou.

Já, o pessimismo do momento atual é resultado de todo o processo político e econômico pelo qual o país está passando, pois mesmo com o novo governo do presidente Michel Temer, ainda não houve nenhuma mudança concreta e efetiva que faça as pessoas estarem dispostas a consumir agora. No entanto, quando questionados sobre os próximos meses, a perspectiva é melhor. “O Consumidor está dando um voto de confiança para a economia, mas vai cobrar o retorno dessa esperança ao longo do ano que vem. O futuro “melhor” tem que se concretizar, ou gradativamente o indicador vai começar a cair novamente”, conclui Pina.

 

Foto aérea de Indaiatuba.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PATROCÍNIOS E TREINOS EM CASA MANTÊM TIME FEMININO DE BASQUETE DURANTE PANDEMIA

Com cortes e redução de patrocinadores em todas as modalidades esportivas, muitos times brasileiros já …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn