ÍNDICE DE GESTÃO MUNICIPAL PERMITE AO CIDADÃO COMPARAR RESULTADOS DE GESTÃO E REFLETEM EM SUA QUALIDADE DE VIDA

O Índice de Gestão Municipal Aquila (IGMA), lançado após 8 anos de pesquisas desenvolvidas pelos consultores do Aquila, reúne informações públicas e oficiais sobre os 5.570 municípios brasileiros a partir de 39 indicadores que permitem a classificação de excelência.

Um dos consultores responsáveis pelo desenvolvimento do IGMA, Rodrigo Neves explica que um índice reunindo tantas variáveis ao mesmo tempo é uma inovação, que permite aos municípios a troca de informações, em tempo real, para implantação das melhores práticas de gestão. “Ao agrupar em um único lugar informações públicas dos municípios brasileiros, o IGMA possibilita o estabelecimento de referências sobre cidades que estão com melhores ou piores desempenhos em setores como a saúde, educação”, explica Neves.

Segundo ele, até agora os municípios brasileiros sempre trocaram muito pouca informação por falta de ferramentas de gestão que possibilitassem os comparativos que o IGMA oferece. ”As administrações públicas municipais estão o tempo todo recriando a roda quando na verdade temos 5.570 municípios no país que estão enfrentando as mesmas dificuldades. E podiam estar se ajudando, falando dos erros que estão cometendo, o que estão fazendo de bom e acelerando todo o processo”, defende o consultor.

Por meio do IGMA é possível, também, lançar luz sobre o mapa nacional e entender que o Brasil ainda está longe de atingir a excelência, quando o assunto é a qualidade de vida nos municípios. Apenas oito atingiram a pontuação de mais de 80% estabelecida pelo IGMA para se considerar um município excelente. Cerca de 2.300 destes – 40% – foram considerados críticos pelo índice. Para chegar aos índices de excelência dos municípios, o Aquila estabeleceu cinco pilares: eficiência fiscal e transparência, educação, saúde e bem estar, infraestrutura e mobilidade, desenvolvimento socioeconômico e ordem pública. Eles refletem a melhoria no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).  “Avaliando o banco de dados que o IGMA permite formar, consigo estabelecer que 90% destes municípios considerados críticos estão na região Norte e Nordeste do Brasil e têm menos de 50 mil habitantes”, explica Neves. “Do ponto de vista de investimentos, estão num ciclo em que têm menos recursos, dependem mais dos governos federal e estadual, investem menos no desenvolvimento de seus pilares. “Identificamos que 300 municípios reúnem 80% de todos os homicídios do país”, pontua Rodrigo Neves.

 

Foto: Rodrigo Neves, consultor do IGMA.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PILZ DO BRASIL PROMOVE WORKSHOP GRATUITO SOBRE SEGURANÇA EM ROBÔ COLABORATIVO EM SÃO PAULO

A multinacional alemã fabricante de produtos para as áreas de segurança e automação industrial, Pilz …

Facebook
Twitter
LinkedIn