INDÚSTRIAS DA REGIÃO DE CAMPINAS REGISTRAM 900 DEMISSÕES EM JUNHO DE 2017

As empresas associadas ao Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) regional Campinas registraram no mês de junho 900 demissões, número superior ao mesmo mês do ano passado quando o número de postos de trabalho fechados foi de 550. Em relação a maio, o número de demissões quase que triplicou passando de 350 para 900.3937(a)_Ciesp_Jose_Henrique_Toledo_Correa_credito_Roncon&Graça Comunicações

Anteriormente o saldo de empregos que era positivo no acumulado de janeiro a maio deste ano em 700 contratações passou agora a ser negativo no acumulado de janeiro a junho em 200 demissões. No ano o acumulado é de -0,12% e nos últimos 12 meses, o acumulado é de -2,08%  representando uma queda de aproximadamente 3.350 postos de trabalho. Os setores que mais demitiram foram Produtos Alimentícios com 1,20%; Produtos Farmoquímicos e Farmacêuticos em 1,61%; Produtos de Borracha e de Material Plástico com 0,41% e Equipamentos de Informática, Produtos Eletrônicos e Ópticos com 1,10%

O vice-diretor do Ciesp Campinas, José Henrique Toledo Corrêa, disse que o empresário sente que não tem mercado, que não tem vendas e que é ruim empregar, pois  Custo Brasil é muito alto. Para ele, toda essa crise política influencia em todo o sistema econômico e financeiro do Brasil. “O empresário questiona investir se não sabe se terá retorno do investimento. Muitas empresas investiram, quebraram, fecharam e estão com dívidas e demissões. O que nós estamos vendo é fruto de toda uma má gestão que nós tivemos nos últimos 14 anos”, diz.

Toledo Corrêa disse ainda acreditar num segundo semestre mais positivo. “Nós temos uma região com muitas empresas que atuam no setor agrícola. O setor agrícola  e que puxa é que puxa a economia do Brasil . Hoje nós temos empresas de alta tecnologia, que tem valor agregado que puxam a balança comercial conseguem manter o equilíbrio com emprego de alto nível.Por causa dessas empresas que ajudam muito a nossa região é que provavelmente isso deverá dar uma melhoria, principalmente com dinheiro entrando em agosto com a primeira parcela do 13º salário deve fazer com que a economia gire no comércio e novos empregos surgirão”, avalia.

Com relação ao comércio exterior o saldo da balança comercial ficou deficitário em US$ 518, 3 milhões em junho deste ano, um crescimento de 19,3% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando o déficit foi de US$ 434,4 milhões. Mas nem tudo está perdido, pois as exportações cresceram 17,3%, passando de US$ 240 milhões em junho de 2016 para US$ 281, 4 milhões em junho deste ano. As importações também registraram um aumento de 18,6%, passando de US$ 674,4 milhões em junho de 2016 para US$ 799,7 milhões em junho de 2017.

No mês de junho a principal categoria de produtos na pauta exportadora do Ciesp Campinas foi a de Máquinas, Aparelhos Mecânicos e suas partes, que teve uma elevação de 1,5% em relação ao mesmo período do ano passado, passando de US$ 40,5 milhões em junho de 2016 para US$ 41,1 milhões em junho de 2017.

Com relação às importações, o produto de destaque foi o de Máquinas e Aparelhos Eletro Eletrônicos, com um crescimento de 80,8%, passando de US$ 163,1 milhões em junho de 2016 para US$ 294.8 milhões em junho de 2017.

Foto: Vice-diretor do Ciesp Campinas, José Henrique Toledo Corrêa.

Crédito: Roncon & Graça Comunicações

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

ESPECIALISTA APONTA CUIDADOS PARA EMPRESAS EM 2022

O Consultor e CEO do Grupo Bahia Associados, Jorge Bahia, cita que o cenário para …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn