INSPEÇÃO PERIÓDICA EM SISTEMAS DE ARMAZENAGEM SALVA VIDAS

Acidentes como o que vitimou o funcionário Matheus Silva, que morreu depois que a empilhadeira em que conduzia caiu sobre si no dia 25 de abril, durante o trabalho num hipermercado em São Paulo, infelizmente, não é incomum. Em outro caso recente, uma rede de supermercados firmou um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público do Maranhão e assumiu a  obrigação de indenizar as vítimas do desabamento de quatro gôndolas ocorrido em São Luís. Oito clientes tiveram ferimentos e uma funcionária morreu.

De acordo com estimativas de seguradoras brasileiras do setor, ocorrem cerca de um acidente/mês em sistemas de armazenagem. As operações e estruturas que envolvem armazenamento de produtos devem obedecer a critérios de segurança, que abrangem treinamento de colaboradores e vistorias periódicas dos equipamentos de estocagem.

A única referência nacional vigente sobre sistemas de armazenagem é a determinação da ABNT-NBR-15524:2007, que tem por objetivo zelar pela manutenção dos níveis adequados de segurança. A ISMA, empresa que atua há 50 anos de sistemas de armazenagem, móveis de aço e deslizantes, passou a aplicar a sua expertise de fabricação de estruturas de aço também no ramo de inspeções em 2016, sendo estão a pioneira no mercado a oferecer este serviço.

De acordo com o gerente operacional da ISMA, Flávio Piccinin, a vistoria regular verifica a vida útil das estruturas e emite laudos técnicos de comprovação de capacidade de carga com o objetivo de garantir a segurança da operação e dos trabalhadores envolvidos, conforme recomenda a ABNT. Dependendo do formato do sistema de estocagem e do peso que ele sustenta, as vistorias podem ser diárias, semanais, mensais ou anuais. “A inspeção assegura a maximização da vida útil das instalações e é determinante para indicar a necessidade de intervenções no produto, como a substituição ou a manutenção dos componentes, o isolamento (parcial ou total) dos equipamentos ou, ainda, a evacuação da área de estocagem”, explica Piccinin.

O especialista frisa que a responsabilidade da demanda de inspeção, de acordo com a ABNT, recai sobre o usuário, que é também o responsável pela metodologia operacional empregada no procedimento.

O uso contínuo de todo e qualquer sistema de armazenagem promove mudanças nas estruturas. Piccinin salienta que choques triviais de uma empilhadeira numa estante, por exemplo, já pode danificar o equipamento. “Na dinâmica da rotina operacional isso pode passar despercebido. Mas essas batidas são as principais responsáveis pelo comprometimento do bom desempenho do produto. As avarias, quando detectadas tardiamente, inviabilizam a adoção de ações corretivas eficazes, prejudicando a segurança e a funcionalidade”, ressalta.

Outro problema corriqueiro nos setores que armazenam materiais é a readequação física das estruturas, ou ainda, a modificação do produto estocado. Essas alterações podem implicar na descaracterização original do projeto. “Por essas e outras que a inspeção é fundamental para a aferição dos novos níveis de segurança e para a proposição de ações que assegurem as referentes intervenções”, diz.

Há de se destacar que o Serviço de Inspeção apresenta um caráter preventivo, desde que periodicamente realizado. Independentemente de quaisquer eventos relacionados a deterioração do equipamento ou a modificações impostas às instalações, a empresa se resguarda e atesta maior longevidade aos sistemas de armazenagem.

Outro braço da ISMA é o treinamento in company para qualificar os colaboradores das empresas e torná-los aptos a executar as inspeções de responsabilidade dos usuários. “Temos orgulho em repassar a nossa metodologia e conhecimento em segurança através da consultoria. O objetivo da ISMA é assegurar que a qualidade e a prevenção sejam inerentes a todos os ambientes onde grandes cargas possam causar impacto se não manuseadas e operadas adequadamente”, destaca Fernando Flávio Silveira, diretor-presidente da ISMA.

A ISMA, fundada em 1º de junho de 1970 com o nome de Irmãos Silveira, iniciou suas atividades como uma empresa pequena e familiar, fabricando móveis de aço e cofres. Com o passar dos anos, foi se profissionalizando, crescendo e investindo em tecnologias e capital humano, alterando então seu nome para ISMA e criando inclusive novas linhas de soluções conforme demanda do mercado.

A conquista do seu espaço movida pelo profissionalismo e comprometimento com os clientes no oferecimento do melhor custo x benefício, qualidade e segurança, resultou na expansão da sua atuação no mercado nacional e também internacional.

Atualmente, com uma média de 200 colaboradores, uma ampla unidade fabril e com uma capacidade produtiva que a coloca entre as maiores do setor, é reconhecida pela excelência e qualidade.

Empresa 100% brasileira, atende qualquer segmento em quatro linhas de fabricação: sistemas de armazenagem, móveis de aço, deslizantes e inspeção de sistemas de armazenagem.

Atenta ao meio ambiente, a ISMA está em constante aprimoramento de seus processos a fim de reduzir ao máximo os impactos negativos. Para isso, mantém ativos programas de uso consciente de recursos naturais e materiais.

 

Foto 1 – Gerente operacional da ISMA, Flávio Piccinin.

Foto 2 – Inspeção em sistemas de armazenagem.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PREÇOS DE AÇO E GÁS PRESSIONAM AS INDÚSTRIAS

O aumento nos preços do gás natural e do aço vão impactar a maioria das …

Facebook
Twitter
LinkedIn