INVERNO E BAIXA UMIDADE DO AR EXIGEM ATENÇÃO NA HIDRATAÇÃO DAS CRIANÇAS

Campinas (SP) atingiu o índice de 29,9% na umidade relativa do ar, segundo dados da Estação Cepagri da Unicamp. O Departamento de Defesa Civil de Campinas declara estado de atenção quando a umidade relativa do ar está entre 20% a 30%. Por isso, alguns cuidados devem ser redobrados, principalmente, quanto a hidratação.hidratação em criançasIMG_7169

No Inverno parece que a sede desaparece. Mas isso não significa que não precisamos de água. O corpo continua liberando água pela urina, vias respiratórias e até pela pele. A transpiração evapora rapidamente por conta do ar frio e seco, principalmente com o uso de roupas mais quentes. Com temperaturas mais baixas, esse período exige atenção, já que o clima gera a falsa sensação de que devemos ingerir menos líquido.

Segundo Erica Blascovi, nutricionista do Colégio Progresso, crianças entre 4 e 8 anos devem ingerir aproximadamente 5 copos de líquidos por dia (1,2L), entre água, sucos e outras bebidas. Já a ingestão para crianças maiores, até os 13 anos, deve ser de 7 a 8 copos ao dia.

Na hora de preparar a lancheira para levar à escola, os pais devem ter atenção. Entre as bebidas indicadas estão água, água de coco, leite e seus derivados e sucos naturais – lembrando que frutas in natura são mais saudáveis, portanto se forem consumidas não há necessidade de sucos, que perdem fibras e alguns nutrientes no processamento. Segundo a nutricionista, o lanche pode ser incrementado com vegetais de boa aceitação, como tomatinhos e palitos de cenoura. Cereais e pães integrais podem completar a refeição, acompanhados de produtos lácteos.

A nutricionista reforça que a água é um importante constituinte dos alimentos, especialmente os de origem vegetal. “Entre os principais podemos citar melancia, abacaxi, abobrinha, tomate, pepino, cenoura e as folhas de modo geral. Além de hidratarem, fornecem outros nutrientes importantes para o funcionamento do organismo”, recomenda.

Os males para as crianças que não ingerem líquido suficiente são grandes. Os principais sintomas incluem boca e pele secas e sede aumentada. Se evoluir para um quadro de desidratação, pode haver urina escura e pouco frequente, dores de cabeça, prostração, irritação, olhos fundos e dificuldade da pele em retornar após ser beliscada. É importante lembrar que crianças costumam demorar para reclamar de sede. Cabe, portanto, aos adultos a oferta frequente de líquidos aos pequenos.

Foto: Crianças em atividade escolar.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

GUIABOLSO CONNECT APRESENTA NOVAS FUNCIONALIDADES

Lançado em janeiro deste ano, o Guiabolso Connect, serviço B2B do Guiabolso, vai oferecer novas …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn