LIVRO ABORDA A PREPARAÇÃO E O SUPORTE EMOCIONAL NECESÁRIOS PARA LIDAR COM A MORTE, O LUTO E A DOR

O setor funerário ainda é um tabu para muitos profissionais que ingressam nessa atividade, que envolve lidar com a morte, o luto e a dor diariamente. “Estar preparado para lidar com questões sensíveis exige muito preparo, especialmente em uma área encarada como obscura, onde se ganha dinheiro com a morte das pessoas”, diz Vinícius Chaves de Mello, executivo do setor funerário há 30 anos, no livro “Cuidar para Cuidarem – Gestão de Pessoas no setor funerário”, recém-lançado pela editora Flyve e prefaciado pelo professor, consultor em gestão e conferencista Waldez Luiz Ludwig.  “Este livro surgiu da necessidade de orientar e preparar empresas, líderes e colaboradores para a difícil tarefa de cuidar das famílias no pior dia de suas vidas. Gerir pessoas no setor funerário, especialmente as lideranças, é muito desafiador, pois envolve lidar com as situações de luto e dor dos clientes, mas também a lidar com traumas, frustrações, cobranças, exigências e punições dos colaboradores. Líderes eficazes devem ser capazes de oferecer apoio emocional às equipes, garantindo que todos possam desempenhar as suas funções de maneira profissional e empática”, explica Vinícius Chaves de Mello.

Diante dos crescentes desafios de inovação e competição, as empresas do setor funerário dependem agora, mais do que nunca, de uma liderança capaz de orientar as pessoas e transformar produtos, serviços e toda a cadeia de valor em um ambiente caracterizado pela volatilidade, insegurança e imprecisão.

Nesse contexto, o autor questiona as técnicas atuais de desenvolvimento de lideranças, uma vez que a complexidade do mercado requer o desenvolvimento e a incorporação de novas competências ao papel do líder, como gerenciar o estresse em cenários incertos, mantendo uma visão positiva e coerente do futuro.

Para enfrentar esses desafios, Vinícius Mello propõe que a gestão dos recursos humanos seja repensada, o que passa pelo entendimento dos conceitos fundamentais de gestão por competências e gestão estratégica de Recursos Humanos.De acordo com ele, os profissionais de RH são os protagonistas para alcançar o modelo de gestão por competências, considerado ideal para converter as necessidades do mercado em soluções para as demandas externas e internas.

Para alcançar esse sistema de gestão é preciso passar por diversas etapas e usar metodologias e ferramentas que possibilitem o mapeamento de competências dos grupos e individuais, sendo que as habilidades interpessoais, como inteligência emocional, influência, tomadas de decisão em contextos instáveis e capacidade de solução de problemas são ainda mais relevantes no setor funerário.

As lideranças e os departamentos de Recursos Humanos das empresas do setor funerário ainda não atingiram, em sua grande maioria, o grau de sofisticação e maturidade necessários para a gestão estratégica de pessoas e competências gerenciais e não gerenciais. “Muitas vezes nos deparamos com exemplos de empresas tradicionais do setor funerário que desejam remodelar sua cultura, mas encontram obstáculos na jornada. Isso acontece, em grande parte, devido à relutância dos líderes, os principais timoneiros, ou daqueles em posições intermediárias, que se assemelham a guardiões da tradição arraigada, resistindo às mudanças com unhas e dentes”, ressalta Vinícius Mello.

Mudar essa mentalidade requer um olhar inovador, onde o foco principal está nas pessoas. Assim, os profissionais de RH das organizações funerárias adquirem uma importância estratégica mais pronunciada, especialmente quanto à habilidade de interpretar os cenários interno e externo, produzir dados sobre o desempenho e o potencial dos colaboradores e apoiar as lideranças na tradução sistêmica desses dados com estratégias inovadoras e sustentáveis para atrair, desenvolver e reter talentos. “Neste último aspecto, as organizações funerárias precisam, com urgência, concentrar esforços para investir na felicidade e no bem-estar das pessoas, pois colaboradores com emoções positivas em ambientes que proporcionam segurança psicológica tornam-se mais criativos, motivados e constroem relacionamentos mais sólidos, contribuindo para uma rápida adaptação e gestão das mudanças. Não é uma tarefa simples, mas totalmente possível”, finaliza o autor.

A proposta do livro é desvendar os mistérios do setor funerário e iluminar a importância da gestão estratégica de pessoas, oferecendo os melhores métodos e ferramentas para que líderes e profissionais deste campo possam trilhar o caminho da evolução.

O autor, Vinícius Chaves de Mello é CEO do Grupo Riopae, conglomerado de serviços de assistência funerária, plano funeral, crematório e concessão de cemitérios em São João de Meriti (RJ).

 

Foto: Vinícius Chaves de Mello autor do livro “Cuidar para Cuidarem – Gestão de Pessoas no setor funerário”.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

COMO O CIDADÃO PODE SE PROTEGER DAS FAKE NEWS NAS ELEIÇÕES

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já disponibiliza aos cidadãos o Sistema de Alerta de Desinformação …

Facebook
Twitter
LinkedIn