PANDEMIA FAZ TRATAMENTO DE CÂNCER DE PRÓSTATA REGREDIR AOS PATAMARES DE 2011

Levantamento da MND (Medicina Nuclear Diagnóstico) Campinas, a partir de dados do Ministério da Saúde, aponta que a pandemia por Covid-19 impactou sensivelmente o diagnóstico e o tratamento de alguns tipos de cânceres, em Campinas. Entre eles, o de próstata. De acordo com análise da clínica, o volume de prostatectomias – procedimento para retirada da próstata (uma das formas de tratamento para a neoplasia) – regrediu dez anos. Em 2020, apenas 47 cirurgias foram realizadas. Esse era o cenário do tratamento da doença observado em 2011. Segundo especialistas, a atenção às avaliações diagnósticas e exames de precisão para a detecção exata da localização e extensão do tumor podem ser decisivos para atenuar essa realidade.

Em 2021, estima-se que 776 homens desenvolverão câncer de próstata, apenas na cidade de Campinas. Enquanto exames de toque retal e dosagem do PSA (antígeno prostático específico) são fundamentais para o diagnóstico, outras tecnologias complementares podem ser decisivas para a detecção do tamanho, localidade da neoplasia e presença de metástase, como o exame PET/CT com PSMA (sigla em inglês para tomografia por emissão de pósitrons).

O PET/CT é um equipamento utilizado em medicina nuclear que proporciona a imediata correlação dos achados anatômicos (CT) com os achados moleculares, funcionais e metabólicos (PET), facilitando a detecção de cânceres e as metástases. O PET/CT funde as imagens e define o local do tumor, possibilitando a escolha do melhor tratamento. Diversos cânceres podem ser avaliados por meio do PET/CT são como câncer pulmonar, câncer de mama, câncer de cabeça e pescoço, melanoma, câncer de esôfago, linfoma, câncer colorretal, câncer de colo de útero, sarcomas, entre outros.“À luz do conhecimento atual, não é mais possível praticar oncologia com elevada qualidade sem dispor dessa tecnologia. Cerca de 60% dos pacientes com recidiva de câncer de próstata têm condutas mudadas, após a realização do exame de PET/CT com PSMA”, comenta a médica nuclear, Professora Livre Docente da Unicamp e Diretora da MND Campinas, Dra. Elba Etchebehere.

O equipamento de medicina nuclear, além de diagnosticar doenças oncológicas, também é utilizado em especialidades como neurologia, cardiologia e endocrinologia e entre outras. Esse tipo de exame está disponível na rede pública e privada.

Câncer de Próstata

Segundo tipo de câncer mais frequente na população masculina, em todo o mundo. No Brasil, para todo o ano de 2021 são estimados 65.840 novos casos – dentre eles 13.650, somente no estado paulista. O principal fator de risco é a idade, contudo fatores como histórico familiar, excesso de peso, tabagismo e fatores genéticos hereditários aumentam o risco para a doença. Cerca de 25% das pessoas que desenvolvem a neoplasia são vitimadas pela doença, segundo dados do Ministério da Saúde.

 

Fotos 1 e 2 – Exames realizados pela medicina nuclear são capazes de identificar o câncer de próstata e demais patologias.

Crédito: Divulgação

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

AFINZ FECHA PARCERIA COM CENTRO ODONTOLÓGICO VOLTE A SORRIR PARA EMIOSSÃO DE CARTÃO DE CRÉDITO

A Afinz, plataforma de soluções financeiras e de cuidado, de A a Z, anuncia parceria …

Facebook
Twitter
LinkedIn