PARA O CONSUMIDOR BRASILEIRO O ATENDIMENTO É O SEGUNDO FATOR MAIS IMPORTANTE NA HORA DE COMPRAR

O preço não é mais o “fiel da balança” na hora do brasileiro fazer uma compra. Uma pesquisa que avalia tendências do consumidor brasileiro (CXTrends 2019) mostrou que entre os principais fatores que fazem uma pessoa comprar novamente de uma empresa estão: a qualidade do produto/serviço, em primeiro lugar, e, em segundo, empatados, o atendimento e o preço.

Mas, será que os consumidores estão satisfeitos com o atendimento que recebem? Infelizmente, a resposta é não. A pesquisa apontou que 68% dos entrevistados desqualificam o atendimento e não acham que os profissionais são tão qualificados como deveriam.

Um fator simples, que parece até bobo, diz respeito à falta de sorriso por parte dos funcionários durante o atendimento. Num estudo mundial sobre simpatia dos vendedores (Shopper Experience), o Brasil ficou em penúltimo lugar, na frente apenas do Japão.  Por aqui, conforme o estudo, 79% dos funcionários sorri ao ver um cliente entrar na loja e, de dez pessoas que entram em uma loja, duas não são recebidas com sorrisos. Na Irlanda, país que aparece em primeiro lugar no estudo, o percentual de atendentes sorridentes é de 97%. E as empresas estão atentas a essa demanda do consumidor (o mesmo estudo apontou que 55% delas estão insatisfeitas com o atendimento que oferecem aos seus clientes).

No Brasil, a realidade é que 52% das empresas investem em treinamentos de qualificação e 48% não (dados da CXTrends).

Em Campinas, a Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC) oferece mais de 400 horas de conteúdos de qualificação por ano. Diariamente, no período da manhã, funcionários de lojas participam de palestras na sede da Associação.

Na próxima quinta feira (25/04), das 8h às 18h, a entidade reunirá mais de 2.500 pessoas (varejistas, funcionários do comércio, estudantes e outros) na Expo D. Pedro para debater as tendências, as inovações, os desafios – como a questão do atendimento – e o panorama econômico do setor varejista. O evento “Retail Conference” terá como tema “O Novo DNA do Varejo – o Físico, o Digital e o Humano”, justamente para apresentar a importância da integração desses três elementos para as empresas que desejam permanecer relevantes nos próximos anos.

Avaliação do Departamento de Economia da ACIC feita a partir de dados do CAGED mostra que, no ano de 2018, o comércio gerou 38.777 vagas de emprego só em Campinas. Para a presidente da ACIC, Adriana Flosi, é preciso qualificar o fator humano, que é essencial para o varejo promover uma experiência do consumidor positiva, porque de nada adianta uma loja bonita, produtos de qualidade, recursos tecnológicos de ponta, se o atendimento deixar a desejar. “No fim das contas, um sorriso pode ser determinante para o fechamento de uma venda, seja em uma loja de shopping ou em uma barraca de cachorro-quente”, diz.

 

Foto: Adriana Flosi, presidente da ACIC.

Crédito: Tatiana Ferro.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

CALOR PROVOCA AUMENTO DOS PROBLEMAS VASCULARES

Apesar de estarmos em uma estação intermediária entre o inverno e o verão, a primavera …

Facebook
Twitter
LinkedIn