PREÇO DOS IMÓVEIS NA AMÉRICA LATINA CAI 3,1% EM DÓLARES

O grupo argentino Navent, do qual o Imovelweb, um dos maiores portais do mercado imobiliário do Brasil, faz parte, acaba de divulgar o resultado do seu  levantamento exclusivo sobre o preço médio do metro quadrado dos imóveis na América Latina. Realizado duas vezes ao ano (março e setembro), o estudo é produzido em parceria com o Centro de Investigação em Finanças (CIF) da Escola de Negócios da Universidade Torcuato Di Tella, de Buenos Aires, Argentina. Os dados correspondem a uma análise realizada entre março e setembro de 2018.

Em comparação ao último levantamento, algumas mudanças significativas podem ser notadas. O valor em dólares do metro quadrado na América Latina caiu 3,1% no período, embora, em moeda local real, a valorização tenha sido de 13,6%. Além disso, o Chile desbancou o Brasil e assumiu a liderança no ranking do metro quadrado mais valorizado da região.

A cidade de Santiago (US$ 3.272/m²), portanto, assume o pódio entre as mais caras, seguida por Buenos Aires (Argentina) e Montevideo (Uruguai), cujos preços médios do metro quadrado ficaram em US$ 3.105 e US$ 3.080, respectivamente. Rio de Janeiro (US$ 2.866/m²) e São Paulo (US$ 2.052/m²) ocupam a 4ª e a 6ª posições. As mais econômicas são Quito, Equador, (US$ 1.341/m²) e Bogotá, Colômbia, (US$ 1.399/m²), além de Guadalajara (US$ 1.443/m²) e Monterrey (US$ 1.564/m²), ambas localizadas no México. “Na avaliação anterior da Navent, realizada entre os meses de setembro de 2017 e fevereiro de 2018, o Rio de Janeiro foi o grande destaque. A desvalorização acentuada do real frente ao dólar, observada nos últimos meses, além das incertezas políticas e econômicas que assolaram o País em 2018, impactaram nos preços praticados pelo setor imobiliário nacional. E esse movimento pode ser identificado claramente no estudo. As maiores quedas de preços aconteceram no Brasil, uma média de 20%, se considerarmos os valores dos nossos imóveis em dólar”, explica o CEO do Imovelweb, Leonardo Paz.

Também considerando a referência “dólares nominais”, as cidades que apresentaram maior aumento percentual de preços foram: Cidade do Panamá, no Panamá, (5%); Monterrey, no México, (3%) e Montevidéu, no Uruguai, (2,7%). Por outro lado, as maiores quedas foram registradas no Brasil, no Rio de Janeiro (21%) e em São Paulo (19%), além do México, na Cidade do México (5,4%).

Para apresentar uma amostra homogênea, a pesquisa se concentrou em bairros com características semelhantes nas diferentes cidades listadas, considerando, também, a similaridade dos imóveis avaliados, que foram apartamentos de 1 ou 2 dormitórios, preços para venda de até US$ 300 mil e metragem inferior a 200 metros quadrados.

A base de dados considera os anúncios realizados nos portais da Navent nas respectivas localidades. São eles, ZonaProp (Argentina), Imovelweb e Wimoveis (Brasil), Inmuebles24 (México), Adondevivir (Peru), Plusvalía (Equador) e CompreoAlquile (Panamá).

Fundado em 1999, o Imovelweb é um dos maiores portais do mercado imobiliário do Brasil. Referência em Real Estate, faz parte do grupo argentino Navent, uma das dez maiores empresas de internet da América Latina. Com mais de 200 colaboradores no Brasil, é uma multinacional sólida, de capilaridade nacional e com a maior capacidade de investimento do mercado em plataforma digital. Mais informações em www.imovelweb.com.br.

É um grupo líder no mercado imobiliário online e classificados de empregos na América Latina. Seu objetivo é ajudar as pessoas a alcançarem dois dos desejos mais importantes de suas vidas: encontrar um emprego e uma casa. A prioridade da Navent é permitir que os usuários e clientes tomem as melhores decisões, de forma rápida e fácil, superando suas expectativas e promovendo relacionamentos de longo prazo. Uma característica fundamental da empresa está no compromisso com o crescimento contínuo dos mercados. Com mais de quarenta mil clientes, o grupo Navent opera com imóveis em sete países: Argentina (ZonaProp), Brasil (Imovelweb e Wimoveis), México (Inmuebles24), Peru (Adondevivir), Equador (Plusvalía), Venezuela (Conlallave) e Panamá (CompreoAlquile).

Criado em 1995, graças ao apoio de um grupo de bancos nacionais e estrangeiros, com a missão de gerar análises de primeiro nível na área de Finanças Aplicadas, o Centro de Investigação em Finanças (CIF) da Universidade Torcuato Di Tella, de Buenos Aires, Argentina, conseguiu reunir, ao longo dos anos, um importante grupo de especialistas internacionais em economias emergentes. O CIF patrocina estudos acadêmicos consagrados, além de elaborar indicadores econômicos, que são referência obrigatória do mercado para o acompanhamento da conjuntura macroeconômica, como o Índice de Confiança do Consumidor (ICC), Expectativas de Inflação (EI) e o Índice Líder (IL). O CIF ainda organiza seminários no âmbito da Escola de Negócios e conversas sobre a conjuntura político-econômica, além de contribuir para financiar conferências acadêmicas de relevância internacional.

 

Foto: Santiago capital do Chile.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Google+
https://www.panoramadenegocios.com.br/preco-dos-imoveis-na-america-latina-cai-31-em-dolares/
Twitter
LinkedIn

Veja também

CHIQUINHO SORVETES COMEMORA BONS RESULTADOS EM 2018

A Chiquinho Sorvetes, a maior rede de sorveterias do país, anuncia os números conquistados ao …

Facebook
Google+
https://www.panoramadenegocios.com.br/preco-dos-imoveis-na-america-latina-cai-31-em-dolares
Twitter
LinkedIn