PROFESSOR DA FGV APONTA QUE META WEB REVOLUCIONA AINDA MAIS A COMUNICAÇÃO E RETARDATÁRIOS CORREM RISCO DE EXTINÇÃO

Somente no Brasil, em 2018 foram investidos R$16,1 bilhões em conteúdo para a internet. Do total, 38% estavam alocados em vídeos, 34% em displays, 18% em buscas e 10% divididos entre outros produtos. “A internet não é mais a estratosfera, é uma camada da sociedade e isso revoluciona toda a forma como pensamos, como falamos e como agimos. Por isso, o digital não é mais o filho pobre da comunicação. Ele cresceu e agora é o pai de todos”, destaca o professor de marketing digital da FGV, Estevão Rizzo, convidado para a aula modelo da turma do MBA em Marketing e Inteligência de Negócios Digitais da IBE Conveniada FGV.

Para compreender o salto da comunicação online, em 2017 o investimento de R$14,8 bilhões representou um aumento de 25,4% em relação a 2016. Os dados são da IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau).

De acordo com um dos marketeiros mais influentes e renomados do mundo, Gary Vaynerchuk, atualmente 90% das maiores varejistas dos EUA estão com vendas em queda nos últimos 5 anos e 80% dos investimentos delas estão em TV ou banners em sites. No caso dos varejos que crescem, 100% do investimento delas é em influenciadores, Facebook e Instagram.

Rizzo corrobora com a visão de Vaynerchuk e aponta a pluralidade de perfis como uma das responsáveis pela ruptura no sistema tradicional de comunicar através da publicidade. “Se antes seu target era um perfil a ser atingido por uma única mídia adequada para seu produto desenvolvido especificamente para isso, hoje é preciso estar preparado para atingir seu público espalhados em diversos canais, com perfis variados e mais: desenvolver um produto adequado para o que ele quer”, diz.

E a culpa não é das estrelas. “A meta web está aí como sua realidade virtual, realidade aumentada e agora pronta para a realidade mista que coloca o usuário em um mundo de matrix. É preciso entender isso como inerente ao mundo atual e preparar os negócios para estar lá. Quem não compreender isso ficará de fora”, determina o professor.

É que a disposição de toda essa tecnologia acabou impactando diretamente nos hábitos do consumidor. Há informação disponível para todos. Há espaço para todos. Há democracia. E a  liberdade é tanta que agora é preciso lidar com a pluralidade destes perfis. Aí que entra a importância das buyer personas, brand personas, jornada do consumidor e funil de vendas na estratégia de marketing digital. “Este é um universo gigante que não vai parar de crescer e você quer estar onde? Não é sobre quanto dinheiro se pode ou se vai gastar, mas é o que você vai fazer para falar com seu público”, provoca ele. A verdade é que se você não está no Google, você não existe!

 

Foto: Aula modelo da turma do MBA em Marketing e Inteligência de Negócios Digitais da IBE Conveniada FGV.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

MESMO SEM FUNCIONAR, LOJISTAS DE SHOPPINGS DE CAMPINAS RECEBEM COBRANÇA

Com as atividades suspensas inicialmente até o final de abril, como medida de segurança para …

Facebook
Twitter
LinkedIn