PROFESSOR DA FGV DEFENDE AUMENTO DA TAXA SELIC PARA CONTER INFLAÇÃO

O Índice
Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou alta de 0,6% em
fevereiro. Nos dois primeiros meses do ano, a variação ficou em 1,47%.
Considerando os últimos doze meses, o índice foi para 6,31% A informação foi
divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo
com o professor e coordenador do Centro de Macroeconomia Aplicada da Escola de
Economia da Fundação Getúlio Vargas em São Paulo (FGV-SP), Emerson Marçal, esse
resultado já era esperado. “A inflação medida pelo IPCA deste ano deve ficar
entre 6% a 6,5% no acumulado em 12 meses ao final de 2013, ou seja, próximo do
teto da meta estabelecida para o ano. Entretanto ainda não é possível descartar
a possibilidade de que o IPCA feche o ano acima do limite superior da meta
estabelecido em 6,5%. Os alimentos e o setor de serviços devem continuar
pressionando a inflação ao longo do ano”, declarou.

Para conter a inflação, o governo
poderia tomar algumas medidas, entre elas, subir a taxa básica de juros, Selic.
“Já na próxima reunião, o Banco Central poderia iniciar um ciclo de subida da
taxa Selic. Uma política fiscal mais contracionista ao longo do ano também
seria uma opção interessante”, analisa.
Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

HÁ DIFERENÇA ENTRE PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO PRECOCE DE DOENÇAS?

Inúmeras enfermidades importantes podem ser evitadas com prevenção. E o antecipar-se a problemas de saúde …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn