PwC TEM RECEITA RECORDE DE US$ 35,9 BILHÕES NO FY16

O Network de firmas PwC registrou receita de US$ 35,9 bilhões no ano fiscal encerrado em 30 de junho de 2016. Em taxas de câmbio constante, o crescimento foi de 7%. “O crescimento da receita no ano fiscal de 2016, em todos os principais mercados e segmentos em que atuamos, é reflexo de nosso propósito fundamental de construir confiança e resolver problemas complexos”, afirmou Bob Moritz, chairman global da PwC. “A força da nossa marca, as oportunidades que proporcionamos aos nossos profissionais, a qualidade de nossos serviços e nosso foco em atender nossos stakeholders é a base de tudo o que fazemos e de como medimos nosso sucesso”, acrescentou.fernando_alves_horizontal

Segundo Moritz, a PwC está fazendo significativos investimentos em novas tecnologias. “O mundo está mudando rapidamente e nós estamos vislumbrando os serviços que os nossos clientes, o mercado de capitais e outros stakeholders demandarão no futuro, sem deixar de atendê-los no presente”, disse ele. “Sejam futuros serviços de auditoria, consultoria transformacional ou tributária, blockchain ou realidade aumentada, nós estamos colocando em prática a estratégia para suprir as necessidades dos nossos stakeholders em longo prazo e as aspirações de carreira de nossos profissionais.”

Localmente, o resultado também foi positivo. “Por nosso caráter multidisciplinar e capacidade de prestar serviços que vão da estratégia à execução, registramos localmente crescimento notável em nossa receita, apesar do cenário de crise”, afirmou Fernando Alves, presidente da PwC Brasil. Segundo ele, na auditoria, o aumento da demanda se deu especialmente em serviços relacionados, como prevenção a fraude e outros processos de investigação, e na consultoria, nos diversos serviços de apoio aos clientes no enfrentamento de problemas complexos, típicos de um ambiente de crise que é, também, de oportunidade em muitos casos, sobretudo no contexto dos desafios do mundo digital.

Os mercados em desenvolvimento, especialmente na Ásia, foram os que registraram o maior aumento de receita, em torno de 10%, especialmente na Índia e na China. Na região da América do Norte e Caribe, o crescimento foi de 8%, impulsionado pelo desempenho nos Estados Unidos. Nas Américas do Sul e Central, o resultado foi 9% maior, em comparação com o FY15. Nos países da Europa Ocidental, o crescimento se manteve estável, em 6%, e na região leste e central, houve significativo aumento chegando a 10%.

Contribuir para a confiança nos mercados de capitais é o principal foco de nossos serviços de auditoria e asseguração e de nossa marca.  A demanda nessa área permanece alta, a despeito da cada vez mais acirrada competição. No ano fiscal de 2016, a receita com esses serviços foi de US$ 15,3 bilhões, um crescimento de 6%. Serviços relacionados à auditoria, como TI, riscos e asseguração, são algumas das áreas para as quais a PwC vem direcionando investimentos e inovação.

A Consultoria de Negócios teve aumento de 8%, com receita de US$ 11,5 bilhões. O crescimento foi resultado, principalmente, da demanda por serviços de consultoria estratégica, bem como aporte a transações (Deals). Cyber security, Digital e Analytics também tiveram bons resultados, beneficiadas pelos expressivos investimentos feitos recentemente.

O aquecimento nas transações de fusões e aquisições causaram impacto positivo na Consultoria Tributária, cuja receita aumentou 7% totalizando US$ 9,1 bilhões. Parte do crescimento foi decorrente também da demanda global por serviços de compliance, consultoria societária e preços de transferência.

No FY16, o Network PwC investiu globalmente US$ 500 milhões para melhorar ainda mais a qualidade e a entrega dos nossos serviços.

Outro destaque foi o número recorde de admissão de novos profissionais ao network: 58.081, incluindo 26.780 recém formados. Assim, encerramos o ano fiscal de 2016 com mais de 223.000 profissionais, 7% a mais do que no ano anterior.  No Brasil, foram contratadas no período aproximadamente 1.300 profissionais, afirma Fernando Alves. Os maiores aumentos da força de trabalho foram na Ásia e nos países do centro e do leste da Europa. Adicionalmente, nossa pesquisa interna revelou que 83% dos profissionais têm orgulho em trabalhar na PwC.

Pouco mais da metade dos profissionais recém formados contratados no FY16 são mulheres. Foram admitidos na sociedade 665 novos sócios e pelo terceiro ano consecutivo, aumentamos a promoção de mulheres a sócias, atingindo 27% do total de sócios. “Temos um firme comprometimento com a diversidade e a inclusão. Com o aumento de sócias admitidas este ano e a maior quantidade de líderes femininas em nosso comitê global de liderança, estamos fazendo progressos, mas ainda temos muito a fazer. Acreditamos que a diversidade de experiências e culturas melhora a qualidade do serviço que prestamos aos clientes,” declarou Bob Moritz.

 

 

Foto: Fernando Alves, presidente da PwC Brasil.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

RAPIDÃOAPP DEVE FECHAR PRIMEIRO ANO DE ATIVIDADES COM 250 OPERAÇÕES

Criada para atender a pequenas e médias cidades, entre 25 mil e 600 mil habitantes, …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn