REGIÃO DE CAMPINAS GERA EMPREGOS COM DESACELERAÇÃO

A
Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC) fez um balanço das vagas
de emprego geradas na cidade e na região metropolitana de Campinas no mês de
janeiro com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados
(CAGED) do Ministério do Trabalho e Emprego. Segundo o economista da ACIC,
Laerte Martins, em Campinas
foram gerados, em janeiro de 2013, cerca de 816 postos de trabalho, 36% a mais
que os 601 de janeiro de 2012. A construção civil foi o segmento que mais gerou
postos de trabalho, 699, 119,12% a mais que os 319 de janeiro de 2012. Em
seguida vieram os serviços com 514 postos, e a indústria com 34 postos. O
comércio, no entanto, eliminou 572 postos, juntamente com 26 postos eliminados
da Administração Pública.

No Estado
de São Paulo, os 816 postos gerados em Campinas (SP) colocam o município em 6º lugar
do ranking, ficando atrás apenas de São Paulo (SP), Franca (SP), Sertãozinho (SP), Piracicaba (SP)
e Birigui (SP).

Na Região
Metropolitana de Campinas (RMC) foram gerados 4.265 postos, cerca de 39,65%
acima dos 3.054 gerados em janeiro de 2012.

A
indústria foi o segmento que mais gerou postos em janeiro de 2013, com 1.900
postos, cerca de 178,71% acima dos 714 de janeiro de 2012, indicando uma
evolução positiva do setor, que foi o que mais eliminou postos de trabalho no
ano passado.

Em
seguida vem o setor de serviços que gerou 1.575 postos, e a construção civil
que gerou 1.074 postos. O comércio também foi o que mais eliminou postos com
1.233 em função das eliminações dos empregos temporários do final do ano. “A perspectiva
para o emprego de 2013 apresenta-se positiva, já indicando uma geração maior
que 2012, tanto para Campinas como na região”, prospectou Laerte Martins. O
economista da ACIC acredita que os investimentos previstos para a RMC devem
gerar boas expectativas  em 2013. “Esses
dados devem melhorar as perspectivas para 2013, que devem gerar mais
investimentos em Campinas e região, aumentando a demanda para o emprego em
níveis superiores aos atuais, até aqui”, completou.

Em
Indaiatuba, a Secretaria de Desenvolvimento avaliou e contabilizou os dados
referentes á evolução do emprego formal na cidade, relativos ao mês de janeiro.
Os dados apontam que o saldo foi positivo em 554 vagas, resultado de 3.410
admissões e 2.856 desligamentos. No ranking da RMC, Indaiatuba ficou em 3º
lugar.

Houve um
crescimento no saldo de vagas, principalmente no setor industrial. Quando
comparado a janeiro de 2012, o saldo foi de apenas 49 vagas. Em relação a
dezembro de 2012, o saldo foi negativo em (-1.012) vagas; ressaltando o aumento
nas contratações.

A
Indústria foi o setor que mais contribuiu para este resultado, com saldo de 303
vagas, também o setor de serviços cresceu e fechou o mês com saldo positivo de
267 vagas. A Construção Civil teve um saldo positivo de 74 vagas, a Agropecuária
teve um saldo positivo de sete vagas e outras
áreas tiveram o saldo de 14 vagas. O setor de Comércio teve um
desempenho negativo, com saldo de (-111) vagas, mesmo assim foi menor que o
mesmo período de 2012 que teve um saldo negativo de (-199) vagas.

TIME DO EMPREGO

A
Prefeitura de Indaiatuba por meio do Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT)
vinculado a Secretaria de Desenvolvimento em parceria com a Junta Militar
vinculado ao Gabinete está com as inscrições abertas para o primeiro Time do
Emprego de 2013. As aulas começam no dia 3 de abril e seguem em 12 encontros
semanais com duração de três horas. O Time do Emprego é gratuito e visa apoiar
o desempregado de diversas formas em busca de um lugar no mercado de trabalho.

Para
participar é preciso fazer a inscrição do PAT ou na Junta Militar. O candidato
deve estar desempregado e ser maior de 16 anos. É necessário levar somente o CPF. As vagas são limitadas.

Ministrado
pela supervisora do PAT, Adriana Bússola Gimenez e pela secretária da Junta Militar,
Célia Casagrande, o Time de Emprego leva ao aprendiz por meio de dinâmica de
grupo o reconhecimento das habilidades, interesses e valores.

Durante
as aulas os participantes aprendem a elaboração de currículos; aplicação de
técnicas de procura de trabalho; preparação e dicas para os vários tipos de
entrevistas; avaliação de interesses pessoais habilidades e metas; planejamento
financeiro; vivencia de dinâmicas de grupo; fazem testes aplicados pelos
empregadores; tem conhecimento de registros das oportunidades de trabalho.

O conteúdo do programa abrange dez temas:
Orientações gerais sobre o Time do Emprego; Quem sou eu, minhas habilidades e
competências; Desenvolvimento do currículo; Formulários de solicitação de
emprego e entrevista; Técnicas da procura de emprego; Este emprego é pra mim;
Mantendo-me saudável; Testes aplicados pelos empregadores; Planejamento
financeiro e Trabalho por conta própria. O material é cedido pelo Governo do
Estado de São Paulo.
Foto legenda: PAT de Indaiatuba
Crédito – Prefeitur de Indaiatuba
Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

HÁ DIFERENÇA ENTRE PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO PRECOCE DE DOENÇAS?

Inúmeras enfermidades importantes podem ser evitadas com prevenção. E o antecipar-se a problemas de saúde …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn