SEGURANÇA E TECNOLOGIA PARA DESPACHANTES

ARTIGO DE JOSÉ HENRIQUE DA SILVA

O início do ano traz para grande parte dos brasileiros uma conta a mais no orçamento doméstico. O vencimento de débitos veiculares, como IPVA, DPVAT, multas e emplacamento, não oneram apenas o consumidor final, mas também chegam como um desafio para despachantes de todo o país.

Mais do que oferecer um serviço, estas empresas precisam, cada vez mais, ofertar facilidade para que o cliente opte em realizar o processo com elas. Para isso, a tecnologia no proceBludata-150810-JoseHenriquedaSilva-Daniel-Zimmermann-3ssamento de dados e na oferta de pagamentos facilitados tem se tornado uma grande aliada.

Já são mais de 42 milhões de automóveis circulando em todo o país que periodicamente buscam nos despachantes a melhor oferta para o licenciamento. O parcelamento do pagamento é apenas uma das ofertas que estes consumidores buscam, uma vez que facilidade de encaixe no orçamento é também um grande trunfo.

Por isso, cabe aos despachantes ofertarem aquilo que seus clientes buscam. Com sistemas consolidados, de baixo custo e integração com bancos, eles se tornam mais do que um mero prestador de serviços. Há três décadas atuo com tecnologia para este setor e percebo que a evolução do segmento nem sempre é acompanhada de sistemas eficazes.

Não basta pensar apenas na execução de uma tarefa, mas na possibilidade de tornar a obrigação do contribuinte uma via facilitada. Para isso, a segurança no processamento de dados é fundamental. Mais do que registrar no sistema, os despachantes precisar oferecer diferenciais como simulações de parcelamento, integração com sistemas bancários que facilitem o controle interno, gestão eletrônica de documentos.

Só pode oferecer um diferencial quem olha para a própria gestão. Modernizar vai além de contar com equipamentos de última geração. Usar a tecnologia a favor dos negócios tem a ver com escolher soluções customizadas que permitam ao despachante ofertar ao cliente rapidez, segurança e facilidade.

Nesta época, em que a procura pelos serviços dos despachantes aumenta, operacionalizar pode ser a chave para quem busca na tecnologia a aliada ideal nos negócios.

José Henrique da Silva é diretor e fundador da Bludata.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

QUEBRA-CABEÇAS PARA EMPRESAS, UM NEGÓCIO QUE DEU CERTO

Para atender empresas que buscam por brindes ou para dinâmicas com colaboradores, os quebra-cabeças no …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn