SEIS LIÇÕES QUE APRENDEMOS COM A PANDEMIA QUANDO O ASSUNTO É INVESTIR E TER LIQUIDEZ

A pandemia do novo coronavírus mexeu com os mercados mundiais, impôs sérias dificuldades para quem teve a renda afetada com o isolamento social e fez com que várias metas e projeções, como a de crescimento do PIB, fossem revistas. Por conta disso, o momento exige atenção às finanças.

A sócia e CEO da Alocc Gestão Patrimonial, Sigrid Guimarães, ressalta a importância de ter um bom planejamento financeiro para atravessar períodos como esse.  “Em épocas de crise é fundamental ter liquidez. As pessoas quebram por falta de liquidez, não por falta de patrimônio. Também é uma oportunidade para rever hábitos financeiros”, orienta.

A especialista selecionou seis lições que podemos aprender diante da pandemia em relação às finanças:

1-) Saiba qual é o seu custo de vida. Coloque numa planilha todos os seus gastos mensais. Assim, você terá uma visão geral de cada um deles e poderá ver o que é possível cortar. Esse é o primeiro passo para começar um planejamento financeiro adequado para as suas necessidades e estilo de vida.

2-) Tenha uma reserva financeira. O ideal é montar uma reserva financeira (também chamada de “colchão de liquidez”) suficiente para cobrir os seus custos de vida pelo período  idealmente de três anos (ou no mínimo um ano). Este colchão serve para gastos inesperados e emergenciais e para enfrentar qualquer crise de mercado. Invista esses recursos na categoria de renda fixa “pura”, deixando-o líquido, sem risco de crédito e disponível para saque a qualquer momento.

3-) Diversifique seus investimentos. Uma vez separado seu colchão de liquidez, diversifique seus investimentos. Uma carteira diversificada em diferentes mercados e diferentes categorias de risco é uma carteira preparada para enfrentar crises. Não invista seus recursos pensando só em rentabilidade. Diversificação é sinônimo de proteção.

4-) Não participe do efeito manada. Você não tem bola de cristal para saber do futuro.  Na hora de investir recursos, a emoção deve ser deixada de lado e as decisões financeiras devem ser tomadas com disciplina e pautadas no seu objetivo de longo prazo, e não nas oscilações do mercado. Monte uma boa estratégia de longo prazo, com uma reserva de liquidez, uma carteira diversificada e eficiente. Mexer no barco no meio da tempestade certamente lhe trará prejuízos desnecessários.

5-) Selecione bons gestores. O apoio de profissionais preparados é um dos passos mais importantes para construir e preservar seu patrimônio. Os bons gestores são aqueles que atravessam as crises mantendo sua estratégia sem gerar perdas definitivas na sua carteira. Contrate um planejador financeiro para fazer uma boa alocação patrimonial.

6-) Oportunidades na crise. Períodos turbulentos também abrem portas para excelentes oportunidades. Numa crise, o preço e o valor de um ativo, que em tempos de calmaria normalmente andam juntos, se descolam, abrindo oportunidades para compra de bons ativos a um preço bem abaixo do mercado. Essas oportunidades são bem aproveitadas pelos bons gestores que conseguem selecionar as empresas resilientes, que saem mais fortes das crises, e as empresas que se beneficiam com ela, trazendo maior eficiência para sua carteira.

 

Foto: Sócia e CEO da Alocc Gestão Patrimonial, Sigrid Guimarães.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

RISCOS AMBIENTAIS SÃO RISCOS FINANCEIROS

ARTIGO DA ADVOGADA RENATA FRANCO As questões ambientais compreendem inúmeros pontos que normalmente não fazem …

Facebook
Twitter
LinkedIn