TERMÔMETRO DA ABRAMAT INDICA EVOLUÇÃO DA INDÚSTRIA DE MATERIAIS NO SEGUNDO SEMESTRE

A ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) acaba de divulgar, a nova edição do Termômetro da Indústria de Materiais de Construção. A pesquisa indica avaliação positiva sobre as vendas em agosto, reverberando no terceiro aumento consecutivo no índice de empresas “otimistas” com o governo no setor. A ampla maioria se mantém “indiferente” às ações governamentais.

A pesquisa informa que para 59% das empresas associadas à ABRAMAT o faturamento no mês de agosto foi “muito bom” ou “bom”. Para 35% o período apresentou regularidade e apenas as demais 6% avaliaram o desempenho como “ruim” ou “muito ruim”. Os números se mantêm quando as empresas foram questionadas sobre a expectativa para o faturamento no mês de setembro.

Enfrentando percalços na agenda econômica no início do ano, o governo federal começa, pouco a pouco, a dar sinais e provas concretas do cumprimento de algumas expectativas da indústria de materiais de construção. As mesas executivas, que reúnem associações da cadeia da construção civil e do governo, têm proporcionado o acompanhamento e debate das pautas relevantes ao setor.

Além disso, dados divulgados pelo IBGE no dia 29 de agosto indicam a retomada do investimento e melhora do desempenho da indústria, com destaque para cadeia da construção. Esses dados respaldam o otimismo advindo do melhor desempenho econômico da indústria de materiais no início do segundo semestre.

O termômetro da ABRAMAT aponta que 29% das empresas manifestaram otimismo sobre as ações do governo, 59% indiferença e 12% pessimismo. Após atingir a marca de 8% em maio de 2019, o número de associadas otimistas cresce pelo terceiro mês consecutivo.

A variação do otimismo, entretanto, não influenciou positivamente as pretensões de investimento do setor no médio prazo. Houve diminuição de 4% em relação ao mês anterior. O Termômetro de agosto indica que 65% das associadas têm pretensões de investimento para os próximos 12 meses. O índice de utilização da capacidade instalada diminui, chegando a 71%. “Os diferentes índices e pesquisas apontam para um cenário menos turbulento nos próximos meses, se mantidas as tendências de retomada do investimento e de aumento da demanda. Enquanto representantes da indústria de materiais de construção, a ideia é auxiliar o governo e nossas associadas a buscarem oportunidades de interesse mútuo. Vemos no segundo semestre de 2019 um momento importante para a confirmação da retomada do crescimento econômico doméstico e estamos trabalhando nesse sentido”, afirma Rodrigo Navarro, presidente da ABRAMAT.

Desde sua fundação, em abril de 2004, a ABRAMAT acompanha e contribui para o crescimento da Construção Civil no país, atuando como interlocutora do setor junto ao Governo e demais agentes da cadeia produtiva. A entidade conta atualmente com aproximadamente 350 unidades fabris de 40 empresas associadas situadas em todas as regiões do país, que são líderes na produção de materiais de construção em diversos segmentos do setor. Entre os pilares de atuação da entidade estão a conformidade técnica e fiscal na produção e comercialização dos materiais, a competitividade e sustentabilidade da indústria, e a capacitação da mão-de-obra da construção. Para a elaboração de seus relatórios são utilizados dados oficiais disponíveis, pesquisas com associados, análise interna da equipe e metodologia FGV desenvolvida com exclusividade para a ABRAMAT.

 

Foto: Rodrigo Navarro, presidente da ABRAMAT.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL TEM NOVO DIRETOR PRESIDENTE

A Log-In Logística Intermodal, empresa 100% brasileira, de soluções logísticas, movimentação portuária e navegação de …

Facebook
Twitter
LinkedIn