VENDAS DO DIA DOS PAIS REGISTRA QUEDA ABAIXO DO PREVISTO PELO COMÉRCIO

A Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC) informou que as vendas referentes ao dia dos pais em Campinas (SP) teve um faturamento de R$ 123,3 milhões uma redução de 3,60% em relação aos R$ 127,9 milhões registrados no mesmo período de 2015. Trata-se da menor taxa desde 2008, mas a expectativa do Comércio era para uma queda de 5,50%. Na Região Metropolitana de Campinas (RMC) o faturamento ficou em R$ 268,4 milhões, uma queda de 3,70% em relação ao faturamento de R$ 278,7 milhões em 2015. “Essa reversão deve-se, em parte, à mudança do Índice de Confiança que o consumidor vem adquirindo desde Junho até agora, numa melhora nos indicadores da economia”, explica o economista da ACIC, Laerte Martins

Evento: Comércio dia dos Pais , Na foto: Loja Mister San Francisco, no Centro de Campinas, com mais de 40 anos de tradição.. Data: 31/07/2014. Local: Campinas/SP. Foto: Ricardo Lima/A2 FOTOGRAFIA

O valor do presente médio ficou em R$ 105,00, uma queda de 2,78% em relação ao de 2015, que foi de R$ 108,00. Os presentes mais procurados foram: Vestuário, calçados, gravatas e camisas, Eletroeletrônicos, celulares e barbeadores, perfumaria, relógios e produtos de toucador.

A ACIC informou também que as vendas de varejo em Campinas, em julho de 2016, frente às de junho do mesmo ano cresceram em 0,15%, mas ficaram 2,36% abaixo das vendas de julho de 2015.

Segundo o economista da ACIC, Laerte Martins, avaliando esses dados ao longo dos últimos sete meses, observa-se que, apesar de negativos, o varejo de Campinas e região começa a ter perdas menores. “Em relação a julho deste ano, o que ajudou o mercado foi a continuidade do clima frio vindo de junho, que aqueceu um pouco mais as vendas de linha mole (artigos de cama, mesa e banho) e das roupas tradicionais de inverno”, diz.

Em Campinas, as vendas de julho movimentaram cerca de R$ 1.17 bilhão, e no acumulado do ano janeiro a julho deste ano, atingiram R$ 7.53 bilhões que, avaliado com o mesmo período de 2015, caiu 3,67% do faturamento que havia ficado em R$ 7.82 bilhões, em valores nominais.

A inadimplência continua preocupando e cresceu 5,45% no período de janeiro a julho de 2016, em relação ao mesmo período de 2015, com 155.555 carnês/boletos vencidos e não pagos há mais de 30 dias, o que representa R$ 112 milhões, indicando um crescimento de 26,27% em relação ao endividamento de junho deste ano.

Na Região Metropolitana de Campinas (RMC), os números projetados para as vendas do varejo, também apresentaram uma redução de 3,25% no período de janeiro a julho de 2016, atingindo uma arrecadação de R$ 18,1 bilhões, abaixo dos R$ 18,7 bilhões, avaliados no mesmo período de 2015.

A inadimplência também registrou no período de janeiro a julho deste ano, uma variação de 5,44%, com 370.300 carnês vencidos e não pagos há mais de 30 dias, representando R$ 266,6 milhões no endividamento dos consumidores da RMC, em torno de 23,31% acima das dívidas de junho deste ano. “A perspectiva para o varejo continua na espera das medidas para o ajuste fiscal do Governo Federal, o que implica em dizer que o comércio vai ter de conviver com a situação atual, devendo se alterar a partir do segundo semestre de 2017, quando a economia começará a crescer”, avalia Laerte Martins.

 

Foto: Compras dia dos pais em Campinas.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

DILUB LEVA ALTA TECNOLOGIA E AMPLO PORTFÓLIO DE SOLUÇÕES DA FUCHS PARA A INDÚSTRIA

A Dilub atua há mais de 32 anos no mercado do estado do Rio Grande …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn