USINA CORURIPE CONCLUI CAPTAÇÃO DE R$ 202 MILHÕES E PREVÊ AUMENTAR EBTIDA EM 7% NA SAFRA 17/18

O bom desempenho da Usina Coruripe e as perspectivas de crescimento para os próximos anos levaram a empresa, uma das maiores do setor sucroalcooleiro no país, a obter uma demanda cinco vezes maior que a oferta pública de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) feita em fevereiro. A primeira oferta, de R$ 135 milhões, foi finalizada no dia 7 de abril, teve a participação de cerca de 2,2 mil investidores e a demanda superou os R$ 693 milhões. Logo na sequência, a empresa realizou nova operação e recebeu, na semana passada, um crédito adicional de R$ 67 milhões.

Essa foi a primeira vez em sua história que a Coruripe fez operações de CRA, que são títulos de crédito emitidos por empresas securitizadoras de direitos creditórios dColheita mecanizada nos campos da Usina Coruripeo agronegócio. Os papéis lançados em fevereiro (CRA CVM 400) têm vencimento em 7 de outubro de 2019 e a remuneração prevista é de taxa DI mais 3% ao ano.

De acordo com o presidente da empresa, Jucelino Sousa, a obtenção de R$ 202 milhões de investidores pessoas físicas mostra a capacidade da Coruripe em diversificar as fontes de financiamento. Ele afirma que, para a Coruripe, a emissão dos CRAs “é uma boa forma de captação, que permitirá aproveitar oportunidades de aumento de eficiência operacional que reflitam aumento de capacidade e faturamento no curto prazo, ao mesmo tempo em que reforça o caixa da empresa em um período de crédito ainda restrito e de juros elevados”.

Sousa ressalta que o sucesso dessas operações se deve à performance da empresa. A safra 2016/17, que se encerrou no dia 31 de março de 2017, deve apresentar um Ebtida superior a R$ 1 bilhão. “Para a safra 17/18, estimamos que essa métrica deverá ser 7% superior à encerrada”, diz o presidente da Usina Coruripe.

Em março, a empresa iniciou a safra de cana-de-açúcar de 2017/2018. Para este ano, a previsão é atingir novo recorde com a ampliação da moagem em 1,32% em relação à anterior, alcançando 14,35 milhões de toneladas. Com isso, a meta da empresa é aumentar a produção de açúcar em 5,7%, com 22,8 milhões de sacas de 50kg, e elevar em 3,9% a geração de energia elétrica, o que representa 740 megawatt/hora (MWh).usina_MATRIZ

Na safra passada, as usinas em Minas Gerais e Alagoas utilizaram 100% da capacidade, garantindo alta produtividade no campo. Esse desempenho garantiu à empresa, pelo segundo ano consecutivo, prêmio de produtividade concedido pelo Grupo Idea e Centro de Tecnologia Canavieira (CTC).

Outro destaque da empresa é a redução constante no número de acidentes. Na área agrícola de Coruripe, onde trabalham cerca de 4,5 mil pessoas, há um ano não ocorrem acidentes. “Nossa meta é ‘zero acidente’ sempre e, por essas e outras conquistas, conseguimos fazer da Coruripe uma das maiores e melhores empresas para se trabalhar do Brasil.”, afirma Sousa.

A Usina Coruripe, controlada pelo grupo Tércio Wanderley, com sede em Coruripe (AL) e fundada em 1925, é a maior empresa do setor sucroalcooleiro no Norte/Nordeste e uma das oito maiores do Brasil. Com quatro unidades em Minas Gerais e uma em Alagoas, possui capacidade de moagem de 14,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, produz açúcar VHP, açúcar cristal e etanol e exporta energia elétrica.

Foto 1 – Colheita mecanizada nos campos da usina Coruripe.

Foto 2 – Usina matriz.

Crédito: divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

AWARE INVESTMENTS INICIA PLANO DE EXPANSÃO REGIONAL E PREVÊ CHEGAR A R$ 20 BI SOB GESTÃO

O ano de 2024 tem tudo para ser bastante promissor para a Aware Investments. O …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn