ASSOCIAÇÃO CAMPINAS PARKINSON RETOMA RODAS DE CONVERSA

A Associação Campinas Parkinson (ACP) retoma as suas Rodas de Conversa presenciais, no próximo dia 21 de outubro (sábado), às 14 horas, na sua sede  localizada nas dependências do Lar dos Velhinhos de Campinas. As Rodas de Conversa foram suspensas durante o período de pandemia. Nesse retorno, a Roda de Conversa é com a médica neurologista, Laura Moriyama, especialista em Parkinson e Distúrbios do Movimento e voluntária na ACP. Moriyama  responderá  perguntas sobre o diagnóstico, tratamento e novidades sobre a doença de Parkinson.

A presidente da ACP, Rita Queiroz, afirmou que a reforma do espaço da entidade no Lar dos Velhinhos ficou confortável e muito bonita. “Isso nos motiva a receber mais vezes nossos associados e seus familiares e também para a retomada pós-pandemia das Rodas de Conversa, importantes  para  os associados, seus familiares e cuidadores”, acrescentou.

Rita Queiroz agradeceu ao presidente do Lar dos Velhinhos de Campinas, Mauro Calais de Siqueira e seus funcionários pela  acolhida à diretoria e associados da ACP, que recentemente  conheceram o espaço renovado.

A Associação Campinas Parkinson foi fundada em 15 de setembro de 2007 e é uma entidade sem fins lucrativos e declarada de utilidade pública municipal. Sua missão é ajudar e compreender a enfermidade, o tratamento e os recursos existentes para a melhoria da qualidade de vida da pessoa com Parkinson e de seus familiares. Seu objeto é acolher, apoiar, informar e incluir, por meio de eventos, palestras, festas, passeios e orientações dos direitos do portador da doença.

A diretoria da Associação Campinas Parkinson (ACP) para o período 2022-2025 tem como foco a realização de atividades múltiplas para a melhoria da qualidade de vida dos portadores da doença de Parkinson, envolvendo a participação de familiares e cuidadores. A diretoria da ACP tem como presidente Rita Queiroz e como vice Vlademir Soares da Rosa. Compõem a diretoria Douglas Morandi (Tesouraria), Patrícia Bianchi Juliano (Secretaria), Natal Antonio Bianchi Juliano (Conselho Fiscal) e Alcides Maiorino Filho (Conselho Fiscal – Suplente).

Os principais sintomas da doença de Parkinson são tremor de repouso, rigidez muscular, lentidão dos movimentos e alteração no equilíbrio. Como a doença é progressiva e degenerativa, o paciente deve procurar suporte médico para realizar o diagnóstico precoce e o tratamento adequado. A doença costuma aparecer depois dos 60 anos, mas 10% dos pacientes têm menos de 50 anos e 5% têm menos de 40. Ela ocorre pela perda de neurônios do Sistema Nervoso Central (SNC), em uma região conhecida como substância negra. Os neurônios dessa região sintetizam o neurotransmissor dopamina, cuja diminuição nessa área provoca sintomas clínicos, principalmente motores, característicos da doença de Parkinson.

A dopamina produzida pelos neurônios pertence a uma classe de substância denominada neurotransmissores, cuja função básica é levar adiante a informação recebida na forma de sinais elétricos, de um neurônio para outro formando sinapses. A dopamina atua especificamente em centros cerebrais ligados às sensações de prazer e dor, tendo papel comprovado nos mecanismos que geram dependência e vícios e também no controle motor. Nos casos de Parkinson, o movimento se mostra claramente afetado devido à falta da dopamina. A causa da doença é ainda desconhecida. Sabe-se que fatores genéticos, ambientais e envelhecimento podem ser alguns de seus causadores. Informações no site da ACP –  https://campinasparkinson.org.br/

 

Foto 1 – Participantes da Roda de Conversa da ACP.

Foto 2 – Associados da ACP.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PODCAST PANORAMA DE NEGÓCIOS TEM COMO TEMA MOBILIDADE URBANA INTELIGENTE DE FORMA SUSTENTÁVEL

Neste episódio do podcast Panorama de Negócios vamos falar sobre mobilidade urbana inteligente de forma …

Facebook
Twitter
LinkedIn