CÂMARA DE COMÉRCIO ITALIANA TORNA-SE SIGNATÁRIA DO ACORDO AMBIENTAL SÃO PAULO

Na jornada da descarbonização e combate às mudanças climáticas, iniciativas voluntárias como o Acordo Ambiental São Paulo têm engajado empresas, instituições e municípios em prol de um planeta mais sustentável. Este foi o compromisso que a Italcam – Câmara de Comércio Italiana de São Paulo assumiu ao tornar-se signatária do acordo, durante o evento online organizado pela Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo com lideranças empresariais, no dia 8 deste mês. “Quando criamos o Comitê de Sustentabilidade, com o apoio do Vice-presidente Rosário Zaccaria, queríamos justamente potencializar nossa contribuição nesta causa, sensibilizando os nossos associados a serem multiplicadores de práticas de compliance em todos os elos da cadeia produtiva”, afirmou Graziano Messana, presidente da Italcam.

O executivo explicou que a campanha de divulgação do acordo começará junto às grandes empresas italianas, com o objetivo de atingir mais rápido seus fornecedores. “Aos poucos, queremos que todos os associados abracem a causa”.

Márcia Massotti, Presidente do Comitê de Sustentabilidade da Italcam, que também mediou o debate, pontou que nos últimos dois anos, o tema ESG (Environmental, Social and Governance), acelerado com a pandemia da Covid-19, entrou de vez na pauta do mundo corporativo. “Vimos movimentos de grandes gestores de investimentos, como a BlackRock, deixando claro que as empresas devem aderir a esse movimento do ESG. No Brasil, a B3 mudou a metodologia do ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial, no ano passado, e passou a divulgar as notas e o ranking das empresas com agenda ESG.

Além da sua atuação na Câmara de Comércio Italiana, Massoti faz parte do Conselho de Administração da Rede Brasil do Pacto Global da ONU e atua como diretora de Sustentabilidade da Enel Brasil.

Lançado em 2019 com 50 signatários, o Acordo Ambiental já reúne 1.350 voluntários, entre associações comerciais, empresas da indústria e do varejo, além de representantes de diversos segmentos econômicos. Na avaliação de Patrícia Iglecias, Diretora-presidente da Cetesb, a “chegada da Italcam é de grande importância para fortalecer os laços com as empresas italianas e compartilhar as boas práticas com todos os envolvidos”.

A executiva destacou que esse acordo está alinhado aos objetivos da Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. “Tive o privilégio de acompanhar as discussões na ONU, em 2015. Entendemos que é possível trabalhar em conjunto com diferentes setores, e continuar atuando como agência ambiental”. Ela reforçou, ainda, que as empresas aderentes ao acordo, dentre elas a Enel, no campo da energia renovável, terão mais oportunidades e benefícios no que diz respeito ao licenciamento ambiental.

Também presente ao evento, Viviane Mansi, Diretora de Comunicação e Sustentabilidade da Toyota para América Latina e Caribe e Presidente da Fundação Toyota do Brasil, contou aos participantes sobre as principais ações da empresa para reduzir as emissões dos carros da marca. “A Toyota tem compromissos globais vinculados à Agenda 2030 com desafios que estão relacionados aos investimentos em novas soluções tecnológicas, a exemplo dos veículos Flex, à nossa cadeia de valor e também na gestão das nossas operações para atingir os níveis zero de carbono”, declarou.

A executiva ressaltou também que fazer parte do Acordo Ambiental São Paulo só trouxe mais oportunidades à empresa, que tem buscado se adequar ao ESG de forma efetiva.

Mas para muitas empresas, especialmente as micro e pequenas, a decisão de aderir ao Acordo Ambiental não é uma decisão tão fácil. Segundo a advogada Christiane Nora Gregolin, do escritório Ferraz de Camargo Advogados, ligada ao Núcleo Ambiental do Cojur- Comitê Jurídico da Italcam, ainda há muitas dúvidas jurídicas das empresas e dos gestores. “Os clientes querem saber, por exemplo, quais são as obrigações relacionadas ao licenciamento ambiental, se podem desistir da adesão ou como os dados e relatórios apresentados podem ser usados em outras esferas”, disse.

Christiane Nora Gregolin ressaltou que as informações compartilhadas pela empresa aos acionistas e colaboradores devem estar atualizadas e coerentes com o plano de ações sustentáveis definido.

A Câmara de Comércio Ítalo-Brasileira de São Paulo nasceu por iniciativa de um grupo de banqueiros, comerciantes e industriais italianos, a fim de estreitar as relações comerciais e culturais entre as empresas brasileiras e italianas. A eficiência e prestígio da Câmara marcam uma trajetória que completa 120 anos em 2022 de atividade e tem sido reconhecida como uma importante associação sem fins lucrativos que reúne pequenas, médias e grandes empresas italianas e brasileiras. Está presente em todo o estado de São Paulo, no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Acre.

 

Foto: Participantes do Acordo Ambiental São Paulo

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

CINCO DICAS PARA EMPREENDEDORES QUE QUEREM DESBRAVAR O MERCADO INTERNACIONAL E AUMENTAR O FATURAMENTO

O número de microempreendedores no Brasil tem crescido significativamente e uma pesquisa recente divulgada pelo …

Facebook
Twitter
LinkedIn