COM FÉRIAS ESCOLARES, TAXA DE OCUPAÇÃO NOS HOTÉIS DA REGIÃO DE CAMPINAS REGISTRA LEVE QUEDA EM JULHO

A rede hoteleira da Região Metropolitana de Campinas (RMC) registou 54,29% de ocupação no mês de julho, com uma ligeira queda na comparação ao mês anterior (56,55% de ocupação), embora os dados apontem estabilidade neste ano. Já o RevPar no mês passado fechou em R$ 166,05 (contra R$ 177,13 de junho). Os dados são da pesquisa de acompanhamento mensal realizada pelo Campinas e Região Convention & Visitours Bureau (CRC&VB). A queda, já esperada, foi decorrente das férias escolares, com a consequente queda dos eventos de negócios.

Segundo a pesquisa, a categoria de hotéis econômicos teve ocupação de 59,91% em julho. Já a taxa acumulada do ano apresenta alta de 11% na comparação com o mesmo intervalo de meses de 2022. Por sua vez, a categoria intermediária (midscale) ficou em 48,66% em julho, registrando uma queda de 10,75% no acumulado de janeiro a julho, sobre o ano passado.

Para o diretor de hotelaria do CRC&VB, Douglas Marcondes, a queda verificada em julho já era esperada. “Cerca de 80% das ocupações na região decorrem dos eventos de negócios, o que coloca a RMC na quinta posição de destinos, e como os eventos caem em julho, por conta das férias, isso já era previsto”, explica. “Mas vale lembrar que a taxa média de ocupação está estabilizada desde o ano passado, o que por um lado é um bom sinal, mas também preocupa, já que poderíamos melhorar o índice com a vinda de grandes eventos culturais e musicais”, acrescenta. No ano, o setor hoteleiro da RMC gerou 47 novos empregos com carteiras assinadas. “Se essa taxa aumentar, com certeza teríamos mais empregos formais.”

Marcondes diz que a tendência para os meses seguintes é de melhora. “Em agosto e setembro, por exemplo, com base nos dados históricos dos anos anteriores, a ocupação costuma subir em razão da Expoflora e do Rodeio de Jaguariúna, que recebem cerca de 400 mil pessoas ao longo dos dois meses, e movimentam cerca de R$ 190 milhões nos setores de hotelaria e gastronomia não somente na RMC, mas em cidades em um raio de até 160 quilômetros”.

Outro dado importante é o aumento dos eventos corporativos na Região Metropolitana de Campinas, que acumula alta de 60% neste ano, na comparação com o ano passado. “O setor de eventos corporativos vem mostrando força na região, assim como em todo o Estado, pelo segundo ano consecutivo, sendo que no ano passado ele entregou dois anos em um devido à demanda represada pela pandemia”, explica Vanderlei Costa, presidente do CRC&VB Visite Campinas. “E segue em ritmo bastante aquecido neste ano, mesmo sem demanda represada, com expectativa de crescer 100% até o final do ano”, acrescenta.

 

Foto 1 – Diretor de hotelaria do CRC&VB, Douglas Marcondes.

Foto 2 – Vanderlei Costa, presidente do CRC&VB Visite Campinas.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PODCAST PANORAMA DE NEGÓCIOS TEM COMO TEMA MOBILIDADE URBANA INTELIGENTE DE FORMA SUSTENTÁVEL

Neste episódio do podcast Panorama de Negócios vamos falar sobre mobilidade urbana inteligente de forma …

Facebook
Twitter
LinkedIn