PESQUISA APONTA QUE BRASILEIROS ESTÃO DISPOSTOS A ADERIR A TECNOLOGIAS DIGITAIS COMO FORMAS DE PAGAMENTO

Os brasileiros estão dispostos a aderir às novas possibilidades que a tecnologia vem oferecendo em relação aos métodos de pagamento digitais. É o que mostra a terceira fase de uma pesquisa promovida pela Rapyd, fintech unicórnio fundada em Israel que facilita a integração entre empresas e clientes ao redor do mundo, unificando mais de 900 métodos de pagamento em mais de 100 países. O estudo contou com a participação de 435 pessoas, entre homens e mulheres, de 20 a 65 anos, com o objetivo de avaliar mitos, medos e hábitos relacionados a meios digitais de pagamento.

Sem papel-moeda nem cartões plásticos, o consumidor já se sente, no geral, confiante em usar alternativas virtuais para transferir e receber valores. Das tecnologias que estariam dispostos a experimentar, podendo escolher mais de uma opção, 80% marcaram redes sociais (Facebook, Instagram e WhatsApp, por exemplo) ou plataforma como GooglePay e Apple Pay. Porém, apenas 36% optaram por criptomoedas e 22% por pagamentos por voz (Siri e Alexa, por exemplo). Ficou claro que os brasileiros ainda são mais resistentes a essas duas modalidades: quando a pergunta foi “qual tecnologia seria mais difícil de adotar?”, 50% escolheram os métodos por voz e 49%, as criptomoedas.

O que parece não ter muitas barreiras para se popularizar por aqui são as vendas ao vivo nas redes sociais. O público brasileiro ainda não está muito habituado, mas se mostra receptivo. Na amostra, pouco mais da metade afirmou estar familiarizado e já ter visto uma transmissão desse tipo. A maioria (79%) nunca comprou nada, mas estaria disposta (69%) a comprar.

Essa inclinação é reflexo da elevada credibilidade que os influenciadores têm conquistado. Tanto que, em outra questão da pesquisa, 60% dos entrevistados afirmaram que aceitariam contribuir com uma comissão para os influenciadores por conteúdos relevantes.

Outros resultados de destaque

– 96% aceitariam usar outros meios de pagamento parcelado, que não fosse cartão de crédito

– 25% foram taxativos em dizer que não aceitariam pagar nem receber valores por criptomoedas

– Apenas 9% afirmaram não estarem dispostos a usar alguma dessas novas tecnologias

– 54% disseram estar familiarizados com as vendas ao vivo via redes sociais e 59%, ter

acompanhado uma transmissão desse tipo. E, embora apenas 25% disseram já ter comprado alguma coisa nessa modalidade, 69% dos que ainda não experimentaram garantiram que estariam dispostos a compra..

– 81% disseram crer que conseguiriam fazer uma viagem de 7 dias pelo Brasil, sem notas nem cartões plásticos, usando apenas o smartphone para fazer pagamentos.

A Rapyd é a forma mais rápida de impulsionar pagamentos locais em qualquer lugar do mundo, permitindo que empresas ao redor do mundo possam ter agilidade no acesso a mercados internacionais. Usando a incomparável rede de pagamentos e sua Plataforma fintech-as-a-service, empresas e consumidores podem interagir em negócios sem fronteiras. A plataforma Rapyd Fintech-as-a-Service facilita a integração entre empresas e serviços financeiros permitindo assim escalar globalmente, unificando mais de 900 métodos de pagamento em mais de 100 países. A Rapyd possibilita mais de 500 tipos de pagamento, incluindo transações sem necessidade de cartão e na moeda local em mais de 2 milhões de pontos de caixa eletrônico e atendimento no balcão em todo o mundo.

Entre os investidores da Rapyd estão Stripe, General Catalyst, Oak HC/FT, Coatue, Tiger Global, Durable Capital, Target Global, Fidelity Management and Research Company, Altimeter Capital, BlackRock Funds and Tal Capital.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PODCAST PANORAMA DE NEGÓCIOS TEM COMO TEMA MOBILIDADE URBANA INTELIGENTE DE FORMA SUSTENTÁVEL

Neste episódio do podcast Panorama de Negócios vamos falar sobre mobilidade urbana inteligente de forma …

Facebook
Twitter
LinkedIn