TRIPLICAR VOLUME DE TRANSAÇÕES É PREVISÃO DE FINTECH DE EMPRÉSTIMOS COLETIVOS PARA 2020

A plataforma de empréstimos coletivos Kavod Lending, fintech de crédito que atua via peer-to-peer lending, operando empréstimos coletivos para empresas reunindo investidores pessoas físicas, prevê alcançar o montante de, no mínimo, R$ 35 milhões em transações até o final do próximo ano (2020).

O CEO e fundador da Kavod, Renato Douek, afirma que, apenas no segundo semestre, a fintech aumentou em 478% o volume transacionado em relação ao semestre anterior, atingindo mais de R$ 11,5 milhões desde que iniciou suas operações, em agosto de 2017. “Nos últimos seis meses, alcançamos grandes resultados. A ideia para o próximo ano é continuar nessa crescente, colaborando com franquias e empresas dos mais diversos segmentos, seja de médio ou grande porte”, apontou Douek.

De acordo com o CEO, o ticket médio dos tomadores é de R$ 380 mil. Já o aporte mínimo para investidores é de R$ 3 mil. “Com foco em franquias e redes de varejo, conseguimos apresentar aos investidores oportunidades de negócio com risco mais baixo se comparado a PMEs em geral e com maior rentabilidade que investimentos mais tradicionais. Já para os tomadores, oferecemos prazos para pagamento em até 36 meses e taxas de financiamento atrativas, que de fato cabem no bolso do empresário”, diz.

Peer-to-peer lending

O peer-to-peer como modelo de negócios vem ganhando mercado nos últimos anos. A modalidade, adotada pela Kavod Lending, que tem de um lado pessoas que aplicam dinheiro e, de outro, empresas que buscam empréstimos, diferencia-se dos bancos tradicionais por diversos fatores. “Praticamos taxas de juros a partir de 1,2% ao mês e as aprovações das operações de empréstimo são feitas com agilidade, pensando sempre na necessidade porte do solicitante”, afirma Douek.

Para que a operação seja realizada, a empresa que busca o empréstimo precisa enviar a documentação necessária, que passará pela análise de crédito da Kavod. Em até 15 dias, uma proposta é enviada ao tomador. “Normalmente, após a abertura para captação, em cerca de 10 dias a empresa já tem o recurso disponível. Nos bancos, esse processo normalmente pode demorar cerca de 60 dias apenas para a aprovação e, após esse período, ainda existe uma longa espera para que as empresas obtenham acesso ao crédito”, explica Renato.

Atualmente, a Kavod atua com foco em franquias e redes de varejo, mas também vem sendo procurada por empresas de outros setores, que buscam crédito para expandir seus negócios. Desde que iniciou suas operações, a fintech já captou empréstimos coletivos para unidades do McDonald’s, Subway, KFC, China in Box, Freddissimo Gelateria, Escola Canadense Maple Bear, Sterna Café, Container Baby & Kids, entre outros.

Liderada por Renato Douek, fundador e CEO, a Kavod Lending é uma fintech de empréstimos coletivos peer-to-peer lending, focada no segmento de franchising e redes de varejo, que visa democratizar e tornar mais justas as taxas de investimento e financiamento no mercado brasileiro. Difere dos financiamentos bancários tradicionais por oferecer taxas mais adequadas e um atendimento ágil e personalizado para os tomadores, além de permitir aos investidores que sonham em financiar empresas as quais admiram, participarem do crescimento da empresa e ainda conseguirem rendimentos mais altos do que nos investimentos tradicionais. Atuando com grande foco em franquias e redes de varejo, já transacionou mais de R$ 11,5 milhões desde que iniciou suas operações, em agosto de 2017.

 

Foto: CEO e fundador da Kavod, Renato Douek.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

EMPRESAS BUSCAM TECNOLOGIA COM A CHEGADA DA LGPD

Com a chegada da entrada em vigor da nova Lei Geral de Proteção de Dados …

Facebook
Twitter
LinkedIn