DONA DE SEX SHOP LANÇA LIVRO COM HISTÓRIAS INUSITADAS VIVIDAS EM SUA LOJA

O rapaz que namorou por longos anos uma boneca inflável, a viúva de 78 anos que se recusava a morrer sem antes atingir o orgasmo e o cliente maníaco por meias suadas foram algumas das dezenas de histórias vividas pela empresária Maísa Pacheco, em seus 20 à frente do sex shop Delírio e Ponto, no centro da capital paulista.capa-livro-bastidores-do-sex-shop

Maísa reuniu esses e outros causos reais, com direito até a um romance real típico de novela, no livro “Bastidores de um Sex Shop”, que será lançado dia 26 de outubro, das 19h às 24h na própria loja, que fica na Rua da Consolação, 2.504. “Para poder ajudar o cliente, muitas vezes precisamos conhecer a sua história de vida e, como falo de sexo de maneira bastante natural, muitos deles se sentem à vontade de se abrir comigo. E é aí que acabo conhecendo algumas histórias interessantes de serem contadas, seja por serem engraçadas, curiosas, inusitadas ou eróticas”, afirma Maísa.

Com base nisso, Maísa conta ainda no livro como ajudou uma asiática a conhecer pela primeira vez o seu clitóris, o homem que se dispôs a pagar R$ 800,00 para uma das funcionárias da loja introduzir um pênis de borracha em seu ânus, a senhora que só dormia se tivesse um vibrador ligado dentro da sua vagina e a relação curiosa entre um casal de sadomasoquistas, dentre outros causos.

Os clientes não tiveram seus nomes reais citados na obra. O livro tem 118 páginas e pode ser encontrado no próprio sex shop, que fica na Rua da Consolação, 2504 – Consolação, São Paulo – (SP).

No final de 2016, um dos auges da crise político-econômica do Brasil, as vendas do sex shop caíram a tal ponto, que Maísa decidiu fechar a loja. Como última tentativa de retomar o crescimento, resolveu fazer vídeos no YouTube para falar sobre sexo e divulgar os produtos da sua recém-criada loja virtual. Foi um sucesso.“Fiz o canal para atrair o pessoal para a loja online, mas o movimento cresceu bastante na loja física. Como falo de sexo de maneira muito desinibida, as pessoas vêm me procurar para dar dicas de produtos e passei a fazer promoções especiais no Whatsapp. Passamos a crescer num ritmo de 20% ao mês desde então”, afirma Maísa.

Outra curiosidade do sex shop é abrigar os pets que Maísa adota como fruto de sua atuação num grupo de proteção aos animais. Segundo ela, os cachorros e gatos são componentes importantes para as vendas na loja, pois ajudam a quebrar o gelo com a clientela mais tímida. “Elas chegam, fazem carinho nos bichinhos, puxam conversa e, de repente, se sentem à vontade para falar sobre o que precisam e comprar os produtos”, relata a empresária.

Quando começou a fazer os vídeos para o YouTube, Maísa não imaginava que faria tanto sucesso e que atrairia para a sua loja um tipo de público que até então não frequentava o sex shop. São as idosas que, em muitos casos, passam a vida toda sem se conhecer a fundo sob o aspecto sexual e veem nela um canal aberto para falar sobre suas intimidades, inseguranças e histórias da vida amorosa. “Já cheguei até a fazer uma palestra só para a terceira idade, organizada por uma das clientes da loja”, revela.

 

Foto: Capa do livro Bastidores de um sex shop

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

AWARE INVESTMENTS INICIA PLANO DE EXPANSÃO REGIONAL E PREVÊ CHEGAR A R$ 20 BI SOB GESTÃO

O ano de 2024 tem tudo para ser bastante promissor para a Aware Investments. O …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn