ENERGIA POR ASSINATURA GERA ECONOMIA DE R$ 10 MILHÕES A PEQUENOS NEGÓCIOS

Além dos benefícios ambientais, a adesão a um serviço de energia por assinatura gera economia todos os meses na conta de luz. Segundo dados levantados pela Lemon Energia, startup intermediadora entre a produção de energia limpa e pequenos negócios, os mais de 5 mil clientes da empresa já economizaram um total de R$ 10 milhões desde 2019.

A contratação de energia por assinatura tem sido um serviço em expansão no país. Dados da Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) indicam que, de 2020 a 2022, o número de consumidores utilizando essa solução passou de 3.250 para 11.712. Até o fim de 2023, esse levantamento vai ser mostrar um número ainda maior. Só na Lemon Energia, a previsão é chegar a pelo menos 10 mil clientes ao fim deste ano.

Ao entrar para a Lemon, um pequeno negócio passa a consumir energia limpa, a maioria das vezes de fonte solar, que é mais barata. O desconto mínimo é de 10% ao mês na conta de luz, mas pode ser maior em algumas regiões, como Minas Gerais, que adota mais incentivos para produção de energia limpa.

Na prática, o desconto obtido é equivalente  a deixar de pagar uma ou duas contas ao ano. Isso significa uma folga no orçamento dos pequenos empreendedores para fazer melhorias nos estabelecimentos comerciais e ajudar em outras despesas, como o pagamento de 13° salário.

Além da redução de custos, o serviço contribui para o meio ambiente. Os clientes da Lemon já ajudaram a evitar a emissão de 7,5 mil toneladas de CO2 na atmosfera. A startup possui clientes em seis regiões brasileiras: SP, RJ, MG, MS, DF e GO.

Por não precisar adquirir placas solares nem alterar a instalação do local, as startups usam tecnologia e dados para conectar usinas de energia renovável a estabelecimentos físicos. É como um aluguel de um pedaço de um gerador de energia sustentável. “A conta de luz é uma das maiores despesas dos pequenos comerciantes e não havia muita opção para reduzir esse custo. O nosso produto ajuda a diminuir os gastos mensais do empreendedor sem trazer complexidade ou exigir investimento em placas solares”, afirma Rafael Vignoli, CEO e cofundador da Lemon Energia.

A Lemon Energia não distribui nem vende energia e, sim, faz a ponte entre usinas (solares, a biogás ou pequenas hidrelétricas) e pequenos comércios que desejam economizar na conta de luz e contribuir para limpar a matriz energética do país. Com isso, não é preciso adquirir placas solares nem alterar a instalação do local, já que, na prática, a operação funciona como um aluguel de um pedaço de um gerador de energia sustentável.

As usinas de geração renovável associadas à Lemon injetam energia sustentável no sistema de distribuição, gerando créditos que são abatidos das contas dos consumidores que aderiram ao serviço da startup.

Depois de aderir ao serviço, cada cliente final segue pagando a conta à distribuidora, mas apenas com as taxas e encargos. E passa a receber uma nova conta, da Lemon, com o desconto de energia.

Lançada em 2019, a Lemon Energia é uma climate tech que usa tecnologia e dados para conectar geradores de energia limpa a pequenos e médios empreendedores. A startup recebeu em 2022 uma rodada de investimento Series A de R$ 60 milhões, liderada pela Kaszek, principal fundo de venture capital da América Latina, e com participação do Lowercarbon, fundo dedicado a startups de impacto ambiental. Também são investidores da companhia os fundos Canary, Big Bets, Capitale e a Ambev.

 

Foto: Rafael Vignoli, CEO e cofundador da Lemon Energia.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

CO-FUNDADORA DO ARQ FUTURO DEFENDE RECUPERAÇÃO DOS CENTROS COMO OPÇÃO DE MORADIA

Nesta semana Campinas foi sede de um evento com palestrantes internacionais e expoentes brasileiros dos …

Facebook
Twitter
LinkedIn