EXECUTIVO CONSOLIDA ASPEN PHARMA NO MERCADO NACIONAL DE MEDICAMENTOS

O presidente da filial brasileira da farmacêutica sul-africana Aspen Pharma é um publicitário carioca, com mais de 15 anos de experiência no mercado farmacêutico. Em apenas três anos após assumir a presidência da farmacêutica em 2011, Alexandre França consolidou a empresa no mercado nacional de medicamentos e recentemente elevou a filial brasileira à número um entre as operações do Grupo Aspen Pharmacare. Sua chegada marcou a mudança da companhia com estratégias eficazes que tornaram alguns produtos do portfólio sucesso de vendas, como o Leite de Magnésia de Phillips e Calman.

O executivo começou a carreira como estagiário não-remunerado e, depois, como atendente da rede de fast food McDonald´s.  “Eu sabia que o McDonald’s era uma empresa grande, com escritórios no Brasil e pensei que havia grandes chances de conseguir me movimentar lá dentro. E foi isso que aconteceu. Depois de um ano no restaurante, virei assistente de marketing. Mas queria experimentar mais e então, depois de formado, me inscrevi em programas de trainee e fui aprovado na L’Óreal. Entrei como vendedor, mas sempre procurei colocar 100% de mim em tudo que eu fazia e acabei sendo promovido várias vezes. Cheguei a ser gerente nacional de vendas”, conta o executivo.

No segmento farmacêutico, França ocupou cargos de liderança em grandes companhias do setor, como a Bristol-Myers Squibb, Glaxo Smith Kline e Merck. O CEO criou uma metodologia no planejamento dessas empresas e o seguiu até o fim. Dentre as lições valiosas, ele destaca a de se adaptar as constantes mudanças, e principalmente, a ser resiliente. “Ao chegar na presidência da Aspen Pharma implementei mudanças seguindo a ordem de processos, produtos, clientes e pessoas. Ou seja, primeiro eliminamos tudo que não agregava valor à companhia e significava desperdício de dinheiro ou de tempo. Depois avaliamos o portfólio de produtos investindo apenas no que tinha potencial de crescimento. Reavaliamos a carteira de clientes, aumentando a produtividade e introduzindo o conceito de Key Account. Por fim, avaliamos o time, retendo os talentos e trocando quem não se encaixava no novo perfil da Aspen”, conta o executivo.

Ao implementar essas medidas, França observou que o prejuízo virou lucro e que processos ineficazes deram lugar a controles mais eficientes e um número menor de processos mais adequados. “Não existia a avaliação de performance dos funcionários, hoje resultados e alta performance são mandatórios”, completa França.

Confirmando o sucesso das medidas implementadas por França, em 2015 a Aspen Pharma ganhou pela primeira vez o prêmio concedido pelo Great Place to Work como uma das melhores empresas para trabalhar no Rio de Janeiro. A premiação acontece baseada em uma pesquisa anônima de satisfação entre os funcionários e uma análise se a empresa vive sua missão, visão e valores. Desde então, a companhia ganha todos os anos no segmento de Saúde, Rio de Janeiro e Mulheres. “Um bom gestor tem que ter uma grande capacidade de antecipação. Ele precisa prever com consistência o que está por vir e pode impactar positiva ou negativamente a companhia. Assumir riscos calculados também é importante, assim como ter habilidade de formar equipes coesas”, finaliza.

No último ano fiscal, a empresa cresceu 30%, totalizando US$ 110 milhões, a maior taxa entre as operações da Aspen Pharma. Com um plano focado em aquisição de produtos tradicionais e maduros, e o crescimento orgânico desses medicamentos, a farmacêutica tem como meta para o próximo ano fiscal o aumento de dois dígitos nas vendas.  No âmbito internacional, em 2016 o Grupo Aspen consolidou sua presença no segmento de anestésicos com duas grandes aquisições: sete produtos da AstraZeneca e o portfólio completo desse segmento da GlaxoSmithKline (GSK) completando sua estratégia de expansão no mercado farmacêutico mundial.

Com dez anos de atuação no Brasil, sede no Rio de Janeiro e fábrica em Serra/ES, a Aspen Pharma oferece ao mercado brasileiro medicamentos anestésicos, fitoterápicos, de prescrição, SNC e OTC, cardiometabólicos, e biotecnológicos.  Integram o portfólio da companhia diversos produtos de referência no mercado, como: Diprivan, Calman, Leite de Magnésia de Phillips, Omcilon-A Orabase, Durateston, Deca Durabolin, Kwell, Zyloric,  Digoxina,  Insunorm,  Alcachofra, Imuran,  Enablex,  Aldomet, Suplan, entre outros.

A Aspen Pharma Brasil é reconhecida há quatro anos (2014 a 2018) pelo Great Place To Work como uma das melhores empresas para se trabalhar, já tendo conquistado os selos nas categorias Rio de Janeiro, Farmacêutica, Mulher e Brasil.

A Aspen Pharmacare é a principal companhia farmacêutica do continente africano, a maior indústria farmacêutica do Hemisfério Sul e uma das maiores fabricantes de medicamentos no mundo. Com 24 plantas produtivas, em 18 indústrias nos seis continentes, a companhia desenvolve seus produtos sob o comando de cientistas altamente qualificados e em parceria com outras farmacêuticas globais e centros de pesquisa de renome. Atualmente, o Grupo conta com mais de 10 mil funcionários em todo o mundo e fornece produtos para mais de 150 países ao redor do globo.

 

Foto: Presidente da filial brasileira da farmacêutica sul-africana Aspen Pharma, Alexandre França.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

HÁ DIFERENÇA ENTRE PREVENÇÃO E DIAGNÓSTICO PRECOCE DE DOENÇAS?

Inúmeras enfermidades importantes podem ser evitadas com prevenção. E o antecipar-se a problemas de saúde …

Facebook
Twitter
LinkedIn