IMÓVEIS RESIDENCIAIS OU COMERCIAIS SERVEM COMO OPÇÕES DE INVESTIMENTO

Nacionalmente reconhecida por sua importância econômica, localização estratégica próxima à capital e por ser um polo tecnológico, industrial e educacional, a Região Metropolitana de Campinas (RMC) tem se firmado como um polo do desenvolvimento urbano. Campinas (SP), que tem assumido um papel protagonista no setor imobiliário, revela tendências no segmento que passam a ser referência para o mercado de todo o interior do estado de São Paulo. E entre essas tendências, nota-se um movimento de consumidores que estão predispostos a comprar um imóvel (residencial ou comercial) como uma opção de investimento; seja para morar ou alugar.

Os números comprovam que a compra de um imóvel tem ocupado espaço no planejamento dos campineiros. De acordo com um levantamento realizado no  primeiro trimestre deste ano pela Brain Inteligência Estratégica, que produz estudos de mercado para as incorporadoras, 34% dos 2.586 entrevistados pretendem adquirir um imóvel nos próximos 24 meses. E os números também comprovam que a alta no valor dos aluguéis de Campinas tem sido um fator decisivo para esse investimento. O relatório do índice Fipe-Zap referente ao ano de 2023 indica um aumento de 16,16% nos aluguéis residenciais em todo o território nacional. Em Campinas, o valor registrado foi praticamente o dobro desse índice, com um acúmulo de 29,52% ao longo dos 12 meses do ano anterior.

Esse cenário colabora para que investidores ou pessoas que buscam um imóvel para morar efetuem uma compra, pois o mercado da construção civil ainda não repassou completamente os aumentos dos materiais ao valor dos imóveis. Além disso, o valor da outorga em Campinas, que subiu de 10% em 2023 para 20% em 2024, também não foi repassado ainda aos empreendimentos, o que, futuramente, trará um impacto no valor dos terrenos e consequentemente dos imóveis.

A taxa Selic em queda também estimula a compra de imóveis como opção de investimento. Esse movimento possibilita o planejamento de novos negócios e incentiva o deslocamento de investimentos para o mercado imobiliário, que tem risco menor que o mercado financeiro. A queda da Selic aumenta a confiança dos empresários na economia e contribui para o incremento dos investimentos e o número de lançamentos imobiliários

Daniel Aranovich, executivo da Imovit, aponta outra característica da cidade que colabora com esse cenário. “Por conta das universidades, como São Leopoldo Mandic, uma das mais caras do país; Facamp; PUC e Unicamp, Campinas acolhe muitas pessoas com alto poder aquisitivo e com moradias transitórias. Isso faz com que elas aluguem imóveis de valor mais alto, o que rendeu à cidade o terceiro lugar de maior alta dos aluguéis em todo o Brasil, perdendo apenas para Goiânia e Brasília. Então, se o aluguel vem crescendo ano após ano, existe a oportunidade do investidor criar uma renda em cima disso. E se temos a demanda, precisamos da oferta. Temos empreendimentos em Campinas, como o mood.Cambuí e o HUB, por exemplo, que se encaixam muito bem nesta tendência, porque se tratam de empreendimentos bem localizados, com design moderno, bem planejados e com custo de manutenção muito baixo”, explica.

Perfis variados de imóveis residenciais e comerciais

A ascensão do mercado imobiliário campineiro e sua demanda crescente por unidades residenciais e comerciais para compra, mostra que os consumidores estão cada vez mais exigentes. Localização estratégica, infraestrutura de qualidade e design inovador têm sido fatores determinantes para atrair esse novo perfil de compradores. “Hoje, existe uma gama diversificada de empreendimentos e, alguns deles, atendem de uma só vez as necessidades comerciais e residenciais do público. O Hub Cambuí, por exemplo, é o primeiro Mixed-Use de Campinas, que combina salas comerciais e apartamentos de um dormitório em um dos bairros mais plurais da cidade”, conta Adriana Mazzoni, CEO da Congesa.

Adriana Mazzoni também aponta outro empreendimento que rotina e lazer. “Outro exemplo, para os consumidores que buscam o equilíbrio entre a rotina e os momentos de lazer, é o mood. Cambuí, um empreendimento com apartamentos boutique de duas suítes e duas suítes duplex em torre única. Estamos sempre atentos para antecipar as tendências do mercado e oferecer as melhores opções de investimentos”, finaliza.

 

Foto 1 – Daniel Aranovich, executivo da Imovit.

Foto 2 – Adriana Mazzoni, CEO da Congesa.

Crédito: Divulgação.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PARKINSON – O QUE É PRECISO SABER

ARTIGO DA MÉDICA LAURA MORIYAMA  A doença de Parkinson foi descrita em 1817 por James …

Facebook
Twitter
LinkedIn