LEVANTAMENTO APONTA QUE CONSUMIDORES BUSCAM SABER PROCEDÊNCIA DE ALIMENTOS

Pesquisa realizada esse ano pela ADM, empresa global do setor de nutrição, apontou a preferência dos consumidores por produtos que informem sua procedência, desde a colheita até a prateleira dos comércios – requisitos abordados pelas normas BRCGS (British Retail Consortium Global Standard), desenvolvidas para harmonizar os padrões de segurança dos alimentos em toda a cadeia de fornecimento.

O protocolo BRCGS é um auxílio para as empresas realizarem uma melhor seleção de seus parceiros e fornecedores, pois aborda normativos específicos para a segurança dos alimentos, desde produtores de alimentos, fabricantes de materiais de embalagem para todos os tipos de produtos, provedores de armazenamento, armazenamento, logística, e transporte, além de assegurar que a empresa avaliada está dentro da legislação vigente e é capaz de produzir produtos seguros e de qualidade.

O diretor-geral da APCER Brasil, certificadora de origem portuguesa com atuação internacional, Paulo Bertolini, explicou que as normas BRCGS não se tratam apenas de um diferencial mercadológico. “A certificação BRCGS é apontada frequentemente como um requisito dos principais varejistas, fabricantes e organizações do setor de alimentos. A certificação é uma maneira de dizer aos seus parceiros e clientes que você produz com segurança e qualidade e assim conquistar novos mercados”, completa.

A certificação BRCGS foi criada pelo consórcio britânico British Retail em 1998, tornando-se um dos mais altos padrões de qualidade para a indústria de alimentos, com o reconhecimento da GFSI (Global Food Safety Initiative).

São doze os requisitos principais que uma organização deve cumprir para ser certificada pela BRCGS: compromisso da alta direção e melhoria contínua; plano de segurança de alimentos (HACCP); auditorias internas; gestão de fornecedores de matérias-primas e embalagens; ações corretivas e preventivas; rastreabilidade; layout, fluxo de produto e segregação; limpeza e higiene; gestão de alergênicos; controle de operações; rotulagem e controle de embalagem; e treinamento de manuseio de matéria-prima, preparação, processamento, embalagem e armazenamento. “A norma possibilita uma evolução da empresa que, caso ainda não cumpra os requisitos, pode traçar estratégias para cumpri-los, passando depois por uma nova auditoria de avaliação”, pontua Bertolini. “É possível observar que mais que uma exigência do mercado, a qualidade e procedência segura também são exigências dos consumidores, que merecem saber de onde vem e como é feito aquilo que estão ingerindo”, conclui.

A APCER é uma empresa de origem portuguesa, reconhecida mundialmente como um dos principais prestadores de serviços de certificação, auditoria a fornecedores, auditoria interna e treinamento. A organização oferece soluções de valor a instituições de qualquer setor de atividade, permitindo que se diferenciem em um mercado cada vez mais complexo e em constante mudança.

 

Foto: Diretor-geral da APCER Brasil, Paulo Bertolini.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PODCAST PANORAMA DE NEGÓCIOS TEM COMO TEMA MOBILIDADE URBANA INTELIGENTE DE FORMA SUSTENTÁVEL

Neste episódio do podcast Panorama de Negócios vamos falar sobre mobilidade urbana inteligente de forma …

Facebook
Twitter
LinkedIn