PRÊMIO EDP NAS ESCOLAS ANUNCIA VENCEDORES E VAI ENTREGAR ÓCULOS 3D, TABLETS, NOTEBOOKS E MELHORIAS EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO

A EDP, empresa que atua em todas as áreas de negócios do setor elétrico brasileiro, anuncia os vencedores de mais uma edição do Prêmio EDP nas Escolas, competição que visa engajar o ambiente estudantil em temas relevantes para a sociedade e o meio ambiente. Em 2023, as instituições participantes foram desafiadas para a criação de conteúdos criativos com foco no tema Energias Renováveis.

Foram três categorias de premiação: escolas, estudantes e professores. Respectivamente, os vencedores de cada categoria vão receber melhorias na infraestrutura, óculos 3D e tablets, e notebooks. No total, 248 alunos e catorze professores foram premiados, e três escolas contempladas com melhorias nos estados do Amapá, Goiás, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins. Os trabalhos vencedores estão disponíveis em www.inclusão digital nas escolas.com.br.

A categoria Estudantes contou com a participação de seis mil alunos de 270 turmas do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e do Atendimento Educacional Especializado (AEE). Com a orientação dos professores, eles usaram a criatividade para se expressar sobre as energias renováveis em vídeos de até dois minutos utilizando diversos formatos e narrativas. Os 270 trabalhos foram avaliados por profissionais de diferentes áreas. No final, foram 11 trabalhos vencedores envolvendo 248 alunos que vão receber óculos 3D – Google Cardboard. Os professores das turmas premiadas também serão contemplados com tablets.

Já a categoria Professores teve como objetivo principal aprofundar a participação dos docentes no processo de inserção de mais tecnologia na prática pedagógica. Durante o programa EDP nas Escolas, os profissionais receberam uma formação no Khan Academy Experts e estimularam as crianças para a utilização de tecnologia durante a aula, a realização de pesquisas usando o tablet, além da promoção de ações inovadoras no dia a dia, como organizar uma feira de ciências ou produção de maquetes. Os professores que mais se engajaram ao longo do programa são os vencedores e vão receber um notebook cada um.

Na categoria Escolas, o prêmio avaliou a proporcionalidade da quantidade de professores em cada instituição em relação ao seu engajamento com a tecnologia usada em aula. Após a realização de pesquisa e avaliação, três escolas foram vencedoras e serão contempladas com melhorias de infraestrutura, no valor de até R$ 90 mil para a 1ª colocada, R$ 60 mil para a 2ª colocada, e 50 mil para a 3ª colocada.

Para Vivian Schaeffer, coordenadora do projeto, a sensação é de dever cumprido. “Ao longo do ano, tivemos o grande desafio de entrar nas escolas participantes do projeto, em comunidades ribeirinhas, de centros urbanos, quilombolas e rurais, com a entrega dos tablets e capacitação dos professores. Percebemos que nosso trabalho sempre tem a evoluir e a contribuir. Queremos melhorar a educação por meio de capacitação e tecnologia”, finaliza.

Marcela Garcia de Almeida, gestora do Instituto EDP, fala sobre a proposta junto aos alunos. “Com o EDP nas Escolas buscamos dar apoio para a conectividade dos alunos, engajar e conscientizar a comunidade sobre a urgência da energia renovável. Queremos também promover a qualificação dos professores e possibilitar melhorias nas escolas. Todas essas iniciativas fazem parte da atuação da EDP para uma transição energética justa”, conta.

O prêmio é parte do Programa EDP nas Escolas, que visa promover a inclusão digital em escolas públicas de todo o país por meio da capacitação de professores, da doação de tablets e da disponibilização de material e conteúdo digital a ser trabalhado em sala de aula. Desenvolvido pela EDP em parceria com o Instituto Mpumalanga, o programa está alinhado à agenda 2030 da ONU, que estabelece 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) a serem atingidos nos próximos sete anos. Com o EDP nas Escolas, a empresa colabora para as metas dos ODS 1 (erradicação da pobreza), 4 (educação de qualidade), 10 (redução das desigualdades) e 11 (cidades e comunidades sustentáveis).

Além da premiação, também fazem parte do programa os projetos Realidade Virtual e Inclusão Digital. Em 2023, participam do programa 51 escolas públicas nas regiões onde a EDP atua: Amapá, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins.

 

Foto 1 – Marcela Garcia de Almeida, gestora do Instituto EDP.

Foto 2 – Vivian Schaeffer, coordenadora do projeto Inclusão Digital nas Escolas e do Instituto Mpumalanga.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

AWARE INVESTMENTS INICIA PLANO DE EXPANSÃO REGIONAL E PREVÊ CHEGAR A R$ 20 BI SOB GESTÃO

O ano de 2024 tem tudo para ser bastante promissor para a Aware Investments. O …

Facebook
Twitter
LinkedIn