ABRACEEL CONVIDA FEDERAÇÕES DA INDÚSTRIA A APOIAR REFORMA NO SETOR ELÉTRICO

A Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) acaba de enviar cartas aos presidentes da confederações da indústria do País reiterando a necessidade de um apoio explícito das organizações ao atual processo de reforma no setor elétrico. Segundo a entidade, a abertura do segmento é fundamental para ampliar a competitividade do setor produtivo no Brasil. Somente de 2003 a 2016, as empresas obtiveram uma economia de R$ 70 bilhões no ambiente livre. “É́ essencial que as medidas interligadas para o destravamento do mercado e modernização do setor elétrico não sejam segregadas”, afirma Reginaldo Medeiros, presidente da Abraceel. “A análise e adequações a serem realizadas devem ser feitas de forma conjunta e com o estabelecimento de datas concatenadas para a implementação das medidas”, complementa.

Segundo a Abraceel, são pontos centrais das propostas o foco nos incentivos à eficiência nas decisões empresariais de agentes individuais como vetor de modicidade tarifária, a segurança de suprimento e a sustentabilidade socioambiental. A entidade destaca ainda como elementos relevantes a sinalização econômica como mecanismo de alinhamento entre interesses individuais e sistêmicos e a alocação adequada de riscos para permitir sua gestão individual.

Fundada em 2000, a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia defende a portabilidade da conta de luz para todos e conta com 84 empresas participantes. Essas empresas são responsáveis por 93,8% do volume de energia negociado pelas comercializadoras. O mercado livre atualmente atende cerca de 5 mil consumidores livres e especiais, que estão entre os maiores do País e são responsáveis por aproximadamente 65% do PIB industrial brasileiro.

Foto: Reginaldo Medeiros, presidente da Abraceel.

Crédito: Agência Senado.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

QUEBRA-CABEÇAS PARA EMPRESAS, UM NEGÓCIO QUE DEU CERTO

Para atender empresas que buscam por brindes ou para dinâmicas com colaboradores, os quebra-cabeças no …

Deixe uma resposta

Facebook
Twitter
LinkedIn