ADVOGADO ORIENTA CONSUMIDORES SOBRE “123 MILHAS”

Na última sexta-feira (18/08), a agência de viagens online “123 Milhas” anunciou que irá suspender os pacotes e a emissão de passagens de sua linha promocional, afetando viagens já contratadas da linha “Promo”, de datas flexíveis, com embarques previstos de setembro a dezembro de 2023.

De acordo com a “123 Milhas”, os valores já pagos pelos clientes serão devolvidos através de vouchers para a realização de novas compras na própria plataforma.

O advogado e especialista em Direito do Consumidor, Pedro Quagliato, orienta sobre o que o consumidor afetado no caso da “123 Milhas” pode fazer

Quando uma empresa se compromete a fazer uma venda de um pacote, ela precisa cumprir rigorosamente com o que se propõe. Caso isso não aconteça, o consumidor poderá demandar judicialmente uma compensação pelos prejuízos sofridos (materiais e morais e até lucros cessantes, conforme o caso).

É o que prevê o artigo 35 do Código de Defesa do Consumidor, no caso de o fornecedor se recusar a cumprir uma oferta, o consumidor poderá exigir ( à sua livre escolha): (1) o cumprimento forçado da obrigação, que neste caso seria a emissão forçada das passagens aéreas nas datas contratadas, (2) aceitar outro produto similar ou serviço equivalente, que neste caso seriam os vouchers oferecidos pela “123 Milhas” para utiliza-los em outros voos , ou (3) desistir da compra, com a devolução total do valor pago, acrescidos de correção monetária e eventuais perdas ou prejuízos.

Neste caso da “123 Milhas”, houve claro descumprimento de oferta, vez que o consumidor comprou passagens aéreas com a legítima expectativa de realizar a viagem e acabou por sofrer cancelamento unilateral arbitrário e abusivo, pela empresa.

Assim, caso necessário, os consumidores que se sentirem lesados poderão acionar o Governo Federal ao realizar registro na plataforma consumidor.gov.br, ou o Procon de sua cidade.

Adicionalmente, caso o impasse não seja solucionado, o consumidor poderá ainda entrar em contato com seu advogado(a) para buscar que seus direitos sejam garantidos por meio de um processo judicial.

 

Foto: Advogado e especialista em Direito do Consumidor, Pedro Quagliato.

Crédito: Divulgação.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn

Veja também

PODCAST PANORAMA DE NEGÓCIOS TEM COMO TEMA MOBILIDADE URBANA INTELIGENTE DE FORMA SUSTENTÁVEL

Neste episódio do podcast Panorama de Negócios vamos falar sobre mobilidade urbana inteligente de forma …

Facebook
Twitter
LinkedIn